Mal súbito

Mulher alérgica a camarão morre em Ceilândia Sul ao comer crustáceo

Segundo Corpo de Bombeiros Militar do DF, o óbito ocorreu na QNP 36, em Ceilândia Sul. Equipe fez tentativas de reanimação cardiopulmonar na vítima, mas ela morreu no local

Pedro Marra
postado em 01/11/2021 09:48 / atualizado em 01/11/2021 13:14
 (crédito: Divulgação)
(crédito: Divulgação)

Uma mulher, 49 anos, alérgica a camarão, morreu de mal súbito, por volta das 1h06 de domingo (31/10), após comer o crustáceo. Segundo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), o óbito ocorreu na QNP 36, em Ceilândia Sul, próximo a uma madeireira. A equipe foi acionada às 10h08 para o prestar socorro no local.

A guarnição chegou ao local e encontrou a vítima em parada cardiorrespiratória. "Nosso socorro atuou com manobras de reanimação por 1h06min, mas, infelizmente, não conseguimos reverter. Senhora foi a óbito e o local ficou ao cuidado da Polícia Civil", diz a nota do CBMDF. De acordo com a corporação, a 23ª DP (Ceilândia Sul) cuidou da ocorrência.

A reportagem apurou que a mulher vivia em situação de rua há cerca de dez anos. Vilma ficava no estacionamento de um mercado da QNP 36, onde atuava como flanelinha. Ela morava com a família no conjunto G da quadra.

Em 11 de setembro de 2019, um garçom de 32 anos morreu depois de comer camarão durante a madrugada em um evento no Bairro Barro Preto, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. O homem era alérgico a camarão, mas disse a testemunhas que iria "arriscar" provar um prato de paella. Ele morreu com choque anafilático.

De acordo com o boletim de ocorrência, a tragédia ocorreu por volta de 0h na Rua Gonçalves Dias, 3182. A vítima, identificada como Elton Gravatar Alves Fernandes, trabalhava como freelancer em um pequeno evento empresarial na Casa Ateliê.

O garçom chefe, que contratou Elton, contou aos policiais que ele havia dito que era alérgico a frutos do mar, principalmente, camarão. Entretanto, afirmou que "iria arriscar" comer o prato.

Com informações do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE