ELEIÇÕES OAB-DF

"A OAB-DF está estagnada no tempo", diz o candidato Guilherme Campelo

Em entrevista ao CB Poder desta terça-feira (16/11), o candidato da chapa 10 à presidência da Ordem defendeu menor anuidade e mudanças internas

Samara Schiwngel
postado em 16/11/2021 16:41 / atualizado em 16/11/2021 17:49
Candidato à presidência da OAB-DF Guilherme Campelo participa do CB Poder desta terça-feira (16/11) -  (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A.Press)
Candidato à presidência da OAB-DF Guilherme Campelo participa do CB Poder desta terça-feira (16/11) - (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A.Press)

O advogado tributarista Guilherme Campelo foi o terceiro candidato à presidência da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) da seccional do Distrito Federal a ser ouvido no CB Poder — programa do Correio Braziliense em parceria com a TV Brasília— desta terça-feira (16/11). À jornalista e colunista Ana Maria Campos, Guilherme disse que a Ordem está “estagnada no tempo” e “precisa de mudanças”.

O CB Poder ouve os cinco candidatos à presidência da entidade. Entre as propostas apresentadas, Guilherme Campelo falou da mudança na anuidade e na fiscalização das contas da Ordem. “Que crie-se um órgão de contas para fiscalizar essa arrecadação e gestão. Para todos os estados e não só o DF”, afirmou.

O candidato afirmou que sabe das dificuldades que os advogados das subseções do DF passaram durante a pandemia da covid-19. Por isso, ele considera que, caso seja eleito, vai se aproximar desse grupo e dar apoio aos colegas.

Anuidade

“Quero dar voz aos que não têm, principalmente, os colegas das subseções. Muitos não conseguiram pagar a anuidade e fecharam os escritórios. Por isso, vamos reduzir em 50% a anuidade durante o primeiro ano de gestão (2022). Vamos arrumar a casa e aplicar esse dinheiro”, disse.

“Precisamos de uma ordem forte e que se afaste de questões político-partidárias”, completou o candidato da chapa 10.

Mudanças 

Guilherme afirmou que nunca foi candidato à OAB-DF e, por isso, seria um "novo ar" para a Ordem". Ele afirmou que é preciso mudar os dirigentes pois, há 20 anos, o poder é revezado entre certas chapas. "Sou jovem, e o meu diferencial é que nunca participei de campanha da Ordem no DF", disse. 

"A gestão, hoje, da OAB-DF gastou meio milhão de reais, no primeiro trimestre de 2019, quando não tinha pandemia, com festas e viagens para os conselheiros. Esse dinheiro precisa ser aplicado para a advocacia. É como nossa chapa pensa", completou. 

Currículo

Guilherme Campelo é advogado tributarista. O candidato atuou como presidente da Comissão de Direito Tributário da Associação Brasileira dos Advogados (ABA). Além disso, Guilherme recebeu três medalhas de reconhecimento ao trabalho: a da ordem do mérito judiciário do trabalho, no grau oficial do Tribunal Superior do Trabalho; a do mérito profissional em ciências jurídicas, outorgada pela Academia Brasileira de Ciências, Artes, História e Literatura; e a ordem do mérito judiciário Ruy Barbosa, outorgada pela Academia Latino-Americana de Ciências Humanas.

Eleições OAB

As eleições para a presidência da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) da seccional do DF ocorrerão em 21 de novembro, por meio da plataforma on-line da instituição. Cerca de 35 mil eleitores podem votar. Ao programa CB.Poder desta terça-feira, os candidatos de cada chapa são entrevistados sobre as propostas para o triênio 2022-2024 da Ordem.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE