Lazer

Com reabertura do Parque da Água Mineral, brasilienses têm dia de lazer

Apesar do pouco movimento, brasilienses que compareceram ao primeiro dia de reabertura das piscinas do Parque Nacional de Brasília aproveitaram as águas e prometem voltar

Samara Schwingel
postado em 23/11/2021 06:00
 (crédito:  Minervino Júnior/CB/D.A Press)
(crédito: Minervino Júnior/CB/D.A Press)

O primeiro dia de reabertura das piscinas da Água Mineral do Parque Nacional de Brasília foi tranquilo. Em aglomerações, quem foi ao local aproveitou para descansar. O espaço das piscinas estava fechado há um ano e oito meses devido a pandemia de covid-19 e reabriu com orientações à população. Os protocolos e cuidados incluem o uso de máscaras em ambientes fechados, como banheiros e posto médico; o respeito ao distanciamento social. O horário de funcionamento é das 6h às 17h, diariamente, com entrada liberada até as 16h.

Quem compareceu ontem, não vê a hora de voltar. É o caso da empresária Cláudia Roos Diehl, 40. Mesmo sendo brasiliense, ela não conhecia o parque. "Vi no jornal que estava reabrindo e pensei que valia a pena", conta. Moradora do Sudoeste, ela levou o filho, Lorenzo Diehl, 3. "É bom tirar ele de casa, ainda mais nessa pandemia. As crianças ficam tanto tempo presas, a gente procura alternativas para distraí-las", afirma. Encantada, ela planeja o retorno. "Lorenzo tá gostando muito. Vou voltar", garante

História

O Parque Nacional de Brasília surgiu com intuito de proteger os rios fornecedores de água potável à capital federal e de conservar a vegetação. Criado em 29 de novembro de 1961, o parque possui uma área de 42.389,01 hectares e tem como objetivo a preservação de ecossistemas naturais, possibilitar a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico.

As piscinas nasceram dos afloramentos do lençol freático e das minas d’água surgidos durante a construção de Brasília. Além disso, o parque dispõe de duas trilhas: a da Capivara – trilha para caminhada, indicada para crianças (sempre acompanhadas por um responsável) e com duração aproximada de 20 minutos; e a Cristal Água – para prática de caminhada e de mountain bike, com duração de 1h a 3h40 (caminhada) e de 20 minutos a 1h30 (bicicleta), conforme percurso escolhido.

A vegetação é composta por: mata de galeria pantanosa, mata de galeria não pantanosa, vereda, cerrado sensu stricto, cerradão, mata seca, campo sujo, campo limpo, campo rupestre, campo úmido e campo de murundus. A fauna é composta por espécies raras ou ameaçadas de extinção, tais como: lobo-guará, tatu-canastra, tamanduá-bandeira, jaguatirica, macaco-prego e ouriço-caixeiro.

 Sob gestão do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o espaço, anteriormente, funcionava a partir das 8h. A abertura mais cedo atende a uma antiga reivindicação dos visitantes. A quantidade de público permitida por dia é de 1,5 mil pessoas — 75% do total. A meia-entrada custa R$ 16, sendo gratuita para idosos e crianças de até 12 anos. O acesso é Via Epia BR-040 – Setor Militar Urbano.

Serviço


Funcionamento: das 6h às 17h, a partir de segunda-feira
Entrada: R$ 16 (gratuita para idosos e crianças de até 12 anos incompletos)
Como chegar: Via Epia BR-040 – Setor Militar Urbano. O Parque Nacional de Brasília está situado a cerca de 10 km do centro de Brasília. O acesso ocorre pela Estrada Parque Indústria e Abastecimento – Via EPIA.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE