Festival

Brasília Sobre Rodas: festival reúne comida, família e amantes de automóveis

O encontro deste sábado (27/11), na Praça do Cruzeiro, no Eixo Monumental. Festival recebeu carros e motos consideradas raridades

Rafaela Martins
postado em 27/11/2021 16:41
 (crédito: Rafaela Martins/CB/DA Press)
(crédito: Rafaela Martins/CB/DA Press)

Barulho do escapamento, cores vibrantes, artigos raros, roupas apropriadas, food trucks, e muita paixão reuniu pessoas na Praça do Cruzeiro, localizada no Eixo Monumental, para um grande encontro de carros e motos. Neste sábado (27/11), quem passou perto do Festival Brasília Sobre Rodas, das 9h às 14h, parou para tirar uma foto e admirar veículos que abrilhantaram as ruas do Distrito Federal.

Colecionador e proprietário de uma Volkswagen Brasilia, ano 1974, Luis Guilherme Azevedo revelou ao que o amor por carros vem desde a infância. O entusiasta gosta de comprar e modificar o automóvel para que ele fique confortável. "Essa paixão é coisa de criança. A primeira coisa que a gente ganha é um carrinho ou uma bola. Então, isso está no meu sangue e não consigo viver sem. Quando apareceu a oportunidade de comprar não deixei escapar. Ele (o carro) estava parado no quintal de um amigo, e eu restaurei quase tudo", lembra.

Festival Brasília Sobre Rodas aconteceu neste sábado (27/11)
Festival Brasília Sobre Rodas aconteceu neste sábado (27/11) (foto: Rafaela Martins/CB/DA Press)

Antes de estacionar, André Parada foi recebido com fotos e vídeos. Dono de uma réplica do Shelby Cobra, um dos carros mais conhecidos no mundo, o veículo parou o trânsito. "Sempre gostei de carros e eu tinha aquele sonho de ter um automóvel antigo. Hoje, eu tenho dois: o cobra e um puma, que é totalmente brasileiro. Como existem somente 20 cobras originais no mundo, eu só consegui essa réplica em São Paulo, mas acho a história do carro incrível. Ele veio para revolucionar, é um carro icônico, pois ele quebrou a hegemonia do Corvette", explicou André.

Motociclistas

O amor por duas ou três rodas não deixou a desejar. A pilota e participante do Moto Clube Ordem dos Cavaleiros de São Jorge Tânia Cerzanink conta que o veículo invadiu sua vida para nunca mais sair. "Comecei como garupa do meu esposo e gostei. Aí depois eu quis pilotar uma moto, mas agora minha paixão é o triciclo, porque isso é o lado bom da vida. É seguro e prazeroso. Já viajei pelo entorno e mais distante da capital. Em Brasília, os motociclistas vivem embolados, é uma comunidade mesmo. Eu adoro viver essa experiência", destaca motociclista.

Festival Brasília Sobre Rodas aconteceu neste sábado (27/11)
Festival Brasília Sobre Rodas aconteceu neste sábado (27/11) (foto: Rafaela Martins/CB/DA Press)

Pioneiro e presidente de um dos moto clubes mais antigos de Brasília, os Candangos, Emilio Locutor tem muito orgulho da cena sob duas rodas. “Para mim, é um prazer participar ter grandes eventos, reunir motoclubes e motociclistas. Começamos os Candangos em 1996, entre amigos, que gostam de rodar o Brasil e o mundo com sua família. Atualmente, somos 12 componentes que, nos intervalos da vida, curtimos essa brisa que bate no rosto, que é a sensação de liberdade", falou o presidente dos Candangos.

Solidariedade

O festival serviu de espaço para ação social. O vice-governador Paco Britto esteve na Praça do Cruzeiro com a esposa. O representante do Executivo local é amante do motociclismo recreativo e, com isso, promoveu um passeio pelas avenidas de Brasília, com foco na solidariedade. Chamado Moto Paco Social, essa foi a terceira edição do projeto .

Festival Brasília Sobre Rodas aconteceu neste sábado (27/11)
Festival Brasília Sobre Rodas aconteceu neste sábado (27/11) (foto: Rafaela Martins/CB/DA Press)

“Minha relação com carros e motos é muito boa. Mas o melhor é essa ação solidária que estamos fazendo, com objetivo de arrecadar brinquedos e levar um pouco de alegria a crianças carentes do DF neste natal. Essa é terceira edição e sempre foi organizada por amigos em parceria com os clubes. Não tem evento político, essa iniciativa surgiu do meu coração. Ano passado, nós conseguimos juntar mais de 5 mil brinquedos, vamos ver se este ano”, ressaltou o vice-governador do DF.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE