saúde

Mil agentes de Vigilância Ambiental vão às ruas para o combate à dengue

A identificação dos principais focos de dengue vem sendo feita desde 16 de novembro. Um total de mil agentes trabalham na erradicação da dengue

Correio Braziliense
postado em 13/12/2021 11:44
 (crédito: ED ALVES/CB/D.A.Press)
(crédito: ED ALVES/CB/D.A.Press)

Para identificar os principais focos de dengue pelo Distrito Federal, a Secretaria de Saúde utiliza o Levantamento do Índice de Amostragem (Liraa). Desde 16 de novembro, agentes de Vigilância Ambiental percorrem as ruas de diversas regiões administrativas. Ao todo são mil agentes, sendo 500 novos, contratados em processo seletivo temporário.

O combate ao mosquito da dengue é feito durante todo o ano por órgãos do DF envolvidos no combate às arboviroses. Entre novembro de 2020, com 58.254 casos, e novembro deste ano, com 19.561, houve uma queda de 70% nos registros de dengue.


Cidades mais suscetíveis

De acordo com o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero, Ceilândia, Paranoá e Planaltina são as cidades mais suscetíveis a casos de dengue. O último boletim epidemiológico, publicado em novembro, apontou que em Ceilândia foram notificados 1.183 casos, o que representa uma queda de 78,4% em relação ao mesmo período de 2020, com 5.151 casos.

No Paranoá, foram registrados, em 2021, 570 casos, uma queda de 6,7% em relação ao ano anterior, com 617 notificações. Já em Planaltina, houve um aumento de 28,3%, e em 2020 o número de casos registrados foi de 2.449 e, neste ano, o número subiu para 3.173.

Como é realizado o Liraa

Os agentes entram nos imóveis para coletar as possíveis amostras de focos do mosquito Aedes aegypti. Após uma semana, os agentes retornam aos locais para realizar o tratamento de todas as casas em um raio de 300 metros do local em que houve a identificação do foco. A maior incidência da doença é no período de chuvas, de setembro a abril. O ovo do mosquito pode viver 450 dias e basta o contato com água para que haja a eclosão.

Cuidados


Prevenção

  • Evite água parada
  • Tampe baldes, caixas d'água e tonéis
  • Deixe garrafas viradas para baixo e mantenha lixeiras sempre tampadas
  • Coloque areia nos pratos de vasos de plantas
  • Mantenha ralos e calhas sempre limpos
  • Use repelente
  • Acione a Vigilância Ambiental, o SLU ou a Novacap caso suspeite que um local seja potencial foco do mosquito


Sintomas da dengue

  • Febre
  • Dor no corpo
  • Fadiga associada a dor nas juntas
  • Dor nos olhos e na cabeça
  • Conjuntivite
  • Mal-estar
  • Manchas vermelhas pelo corpo
  • Falta de apetite

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE