Violência

Mochila de mãe e filha mortas foi levada; blusa achada na mata pode revelar assassino

Os corpos de mãe e filha que estavam desaparecidas foram encontrados distante 500 metros do córrego no Sol Nascente

Darcianne Diogo
postado em 20/12/2021 21:01 / atualizado em 20/12/2021 21:14
 (crédito: Arquivo pessoal)
(crédito: Arquivo pessoal)

Uma blusa encontrada próximo ao local onde estavam os corpos de Shirlene Ferreira da Silva, 38 anos, grávida de 4 meses, e da filha, Tauane Rebeca da Silva, 14, às margens de um córrego do Sol Nascente, poderá ser crucial para identificar a autor do crime. A camiseta, suja de barro, estava pendurada em um galho. Na tarde desta segunda-feira (20/12), a mãe e a adolescente foram localizadas pelos investigadores da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) sem vida, coberta em meio às folhas.

Mãe e filha saíram de casa em 9 dezembro, no Sol Nascente, para passear em um córrego da região e não retornaram mais. Por 11 dias, a Polícia Civil e militares do Corpo de Bombeiros intensificaram as buscas na área, mas não tiveram sucesso. A 23ª Delegacia de Polícia (P Sul), responsável pelo caso, chegou a trabalhar com as hipóteses de afogamento e fuga. "Mensagens colhidas pela nossa investigação que estavam no celular da mãe mostravam que ela pretendia ir para o Maranhão. A partir daí, começamos a trabalhar com essa linha", detalhou o delegado-adjunto da unidade, Vander Braga.

Camisa encontrada em um galho próximo ao local onde mãe e filha foram encontradas foi encaminhada para análise. Material pode apontar identidade do assassino.
Camisa encontrada em um galho próximo ao local onde mãe e filha foram encontradas foi encaminhada para análise. Material pode apontar identidade do assassino. (foto: Divulgação/PCDF)

As investigações tiveram uma reviravolta depois que uma testemunha prestou depoimento na delegacia e informou que mãe e filha haviam descido ao córrego por volta das 16h. A área é de difícil acesso e tem vários vales e grutas. "Com esse depoimento, retomamos as buscas na área, e hoje conseguimos localizar os corpos. Não era o desfecho que gostaríamos, mas agora vamos intensificar a apuração para poder identificar a autoria", disse o delegado.

De acordo com o investigador, com os elementos colhidos até então constatou-se que as vítimas não chegaram a entrar na água, uma vez que estavam de roupa. A mochila levada pela mãe e filha, que tinha uma toalha dentro, não foi localizada, o que reforça a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte). Os corpos foram encontrados distante cerca de 500 metros de distância do córrego. "Parte dos corpos estava enterrado, mas é provável que a pessoa não tenha conseguido enterrar e cobriu o resto com folhas", afirmou Vander.

Elemento crucial na elucidação é a blusa cinza encontrada pendurada em um galho. A camiseta foi encaminhada para o Instituto de Pesquisa e DNA forense para análise.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE