Operação Catwlak

Homem é preso em flagrante por tráfico de drogas na EPTG

PCDF deflagrou a operação Catwlak e prendeu em flagrante um homem que vendia droga próximo a passarela de travessia da EPTG

Correio Braziliens
postado em 22/12/2021 09:40
 (crédito: Divulgação/PCDF)
(crédito: Divulgação/PCDF)

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou a operação Catwalk, através da 38ª DP, na tarde desta terça-feira (21/12). Um homem de 39 anos foi preso em flagrante pelo crime de tráfico de drogas. A polícia agiu após o recebimento de uma denúncia anônima que informava que o homem havia se instalado embaixo da passarela de travessia da EPTG situada na altura da residência do governador do Distrito Federal.

A prisão do autor ocorreu após o flagrante da venda de uma porção de maconha, com isso o homem foi abordado e revistado, mas nada de ilícito foi encontrado em seu poder. Porém, em busca por seus pertences, os policiais da 38ª DP encontraram uma porção média de maconha, embalada em papel filme, e outra menor, embalada para difusão ilícita.

Segundo o denunciante, o homem além de realizar a venda de drogas no local, também era agressivo, principalmente com mulheres e ameaçava moradores da região. Populares informaram que o autor vendia cada grama da maconha por R$ 10.

Durante as buscas, os policiais também encontraram um facão e objetos suspeitos de serem produtos de crimes patrimoniais, como diversas bijuterias e dois aparelhos telefônicos, um Iphone 5s da marca Apple e um celular da marca Samsung.

A PCDF suspeita que o homem tenha praticado crimes de roubo na região, as imagens dele foram divulgadas para que eventuais vítimas possam fazer o reconhecimento e efetuar registro da respectiva ocorrência.

O autor possui passagens pela polícia por crimes de lesão corporal, injúria e ameaça, estes em situação de violência doméstica contra mulher, roubo, furto, porte de arma branca, violação de domicílio, lesão corporal, ameaça, desacato e resistência, e por contravenções penais de perturbação de tranquilidade e vias de fato.

Existem dois mandados de prisão preventiva e cinco alvarás de soltura judiciais em sua ficha criminal. Após a prisão em flagrante, o homem foi levado à carceragem da Divisão de Controle e Custódia de Presos (DCCP), onde ficará à disposição da justiça. Caso condenado poderá pegar de cinco a 15 anos de prisão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE