Saúde

Afastamento por síndrome gripal de servidores da Saúde no DF aumenta em 268%

Em novembro de 2021, foram 422 afastamentos por causa de doenças respiratórias. Em janeiro, até o dia 20, foram 1.556 registros

Samara Schwingel
postado em 27/01/2022 16:20 / atualizado em 27/01/2022 18:01
 (crédito: Breno Esaki/Secretaria de Saúde)
(crédito: Breno Esaki/Secretaria de Saúde)

Em dois meses, o afastamento de profissionais de saúde da rede pública do Distrito Federal por síndromes gripais aumentou cerca de 268%. Em novembro de 2021, foram 422 afastamentos por causa de doenças respiratórias. Em dezembro, 863. Em janeiro, até o dia 20, foram 1.556 registros. As informações foram divulgadas por gestores da Secretaria de Saúde durante coletiva nesta quinta-feira (27/1). 

Síndromes gripais podem envolver tanto covid-19 quanto influenza e outras doenças respiratórias. Segundo Paula Lawall, subsecretária de Atenção Integral à Saúde, a maioria dos afastamentos de janeiro é de profissionais que atuam diretamente no atendimento primário à população. "A Secretaria de Saúde vem tomado todos os cuidados de atenção à saúde dessas pessoas e prevenção dessa situação de adoecimento", disse.

Durante a coletiva, os gestores da Secretaria de Saúde reforçaram que estão atentos à questão da saúde dos profissionais, principalmente dos que trabalham na linha de frente e que atuam para a contratação de mais mão de obra. 

Covid-19 

Na quarta-feira (26/1), de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde, foram 5.485 casos e cinco mortes — o recorde de óbitos do ano. Desde o início da pandemia, a capital do país registrou 584.615 infectados e 11.152 mortos.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE