Tragédia

Testemunhas relatam momento de terror durante ataque em Samambaia

Família aguarda liberação do corpo de Izadora, criança de 8 anos morta a facadas em Samambaia. Duas das cinco vítimas estão em estado gravíssimo

Renata Nagashima
postado em 07/02/2022 17:04 / atualizado em 07/02/2022 19:54
 (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A.Press)
(crédito: Minervino Júnior/CB/D.A.Press)

Uma faixa preta marca o local da tragédia que ceifou os sonhos de uma criança de 8 anos. Na noite do último sábado (5/2), quatro mulheres e a menina foram esfaqueadas, na QR 209, em Samambaia Norte, por Adenilson Santos de Costa, 36, que invadiu a residência e golpeou as vítimas.

No imóvel estavam Izadora de Sousa do Nascimento, 8, a mãe Adélia de Souza, 36, a tia, Ana Paula de Sousa Paraguai, 33, a avó materna da criança, Eunice Maria de Souza, 54, e a ex-mulher de Adenilson, Eudicilene de Sousa Barros, 50. Segundo testemunhas, o homem teria ido até o local e após ser barrado, foi em casa pegar uma faca.

Uma testemunha relatou ao Correio o momento em que ouviu os gritos. “Era muito alto, várias mulheres pedindo socorro ao mesmo tempo. Estavam gritando bastante”, disse a mulher que preferiu não se identificar. Com o barulho, ela saiu e viu o momento em que Adenilson era contido. Logo em seguida, as vítimas foram saindo da casa pedindo ajuda. “Elas estavam sangrando muito. Quando saíram, foram caindo no chão uma por uma”, detalhou.

Duas das cinco vítimas esfaqueadas permanecem internadas em estado gravíssimo no hospital. Uma delas é Eudilene, companheira do autor do crime. A outra é a avó de Izadora, Eunice Maria. As irmãs Ana Paula e Adélia se recuperam em casa. Segundo a madrinha da menina, Ana Carolina Oliveira, 27 anos, as mulheres estão bastante abaladas. “Ainda não conseguem falar sobre o que aconteceu”, disse.

A família aguarda agora a liberação do corpo de Izadora do Instituto Médico Legal (IML). O sepultamento deve ocorrer na próxima terça-feira (8/2).

Relembre

O caso aconteceu por volta das 22h45, no sábado (5/2). Durante a tarde, Eudicilene de Sousa Barros, 50 anos, saiu de casa e foi até a residência de uma amiga, vizinha dela, para participar de um almoço. À noite, Adenilson bateu no portão da casa de Ana Paula Paraguai, 33, mas teve a entrada barrada pela proprietária. Não satisfeito, ele foi em casa, pegou uma faca e voltou para invadir a residência.

Adenilson foi em direção a Eudicilene e a esfaqueou. Adélia de Souza, 36, tentou defender a amiga, mas também acabou sendo esfaqueada. Ao ver a situação, a filha dela, Izadora, tentou correr, mas foi alcançada e atingida. A avó da criança e a outra filha, Ana Paula, também foram atingidas.

Izadora foi encaminhada ao Hospital Regional de Ceilândia (HRC), mas morreu na madrugada deste domingo (6/2). A mãe dela, Adélia, recebeu alta na tarde de domingo, assim como Ana Paula, que foi esfaqueada no braço. Segundo familiares, a avó da criança e a companheira de Adenilson estão em estado gravíssimo no hospital.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE