Sistema prisional

Preso da Papuda que se soltou de algemas em hospital tem histórico de fuga

Em 2 de novembro do ano passado, Luan Bruno estava no Centro de Progressão Penitenciária (CPP) e saiu para trabalhar. Ele deveria ter retornado ao fim do dia, mas não se apresentou. O preso só foi recapturado mais de três meses depois

Darcianne Diogo
postado em 09/05/2022 18:01 / atualizado em 09/05/2022 18:02
Preso fugiu de hospital pela janela -  (crédito: Seape/Divulgação)
Preso fugiu de hospital pela janela - (crédito: Seape/Divulgação)

Com uma vasta ficha criminal, o presidiário Luan Bruno Figueiredo Alves, 31 anos, está há cinco dias foragido. O interno do Complexo Penitenciário da Papuda conseguiu se soltar das algemas enquanto estava internado com sintomas de AVC, no Hospital Regional do Paranoá (HRPA), na madrugada de quinta-feira (5/5). Conhecido no meio policial, o preso tem histórico de fuga. Em novembro do ano passado, ele não retornou à unidade prisional ao sair para o trabalho externo.

Luan deu entrada no HRPA em 30 de abril, após se queixar de sintomas de AVC. Lotado no Centro de Internamento e Reeducação (CIR), o custodiado foi encaminhado por policiais penais ao hospital e ficou em estado de coma. Na noite de quarta-feira (4/5), os médicos realizaram alguns procedimentos e limpeza no setor.

O preso estava algemado à maca, procedimento comum aos detentos. Na madrugada, enquanto um policial fazia a escolta em frente à porta de acesso, Luan conseguiu se soltar, retirou as sondas nasal e peniana e fugiu pela janela, que dá acesso à área externa do hospital. A fuga chegou a ser observada por um segurança, que contou que o detento vestia apenas uma fralda.

Em 2 de novembro do ano passado, Luan estava no Centro de Progressão Penitenciária (CPP) e saiu para trabalhar. Em via de regra, ele deveria ter retornado ao final do dia, mas não se apresentou. O preso só foi recapturado mais de três meses depois, em 11 de fevereiro deste ano, após ser parado em uma blitz da Polícia Militar, em São Sebastião.

Luan teve a foto divulgada no sistema de foragidos da Secretaria de Administração Penitenciária (Seape). Ele acumula três condenações, duas por roubos e uma por receptação. Somadas, as penas chegam a mais de 12 anos de prisão. Qualquer pessoa pode fornecer informações anonimamente sobre o paradeiro do condenado pelo telefone (61) 99451-0650.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE