LEI

Ibaneis sanciona crédito de R$ 504 mi a empresas de ônibus, mas veta emenda

Em edição extra do Diário Oficial do DF (DODF) desta terça-feira (24/5), o chefe do Executivo local sancionou o polêmico crédito suplementar a empresas de ônibus de mais de meio bilhão de reais. A única emenda, que era da oposição, foi vetada

Pablo Giovanni*
postado em 24/05/2022 20:32
 (crédito: Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)
(crédito: Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press)

O governador Ibaneis Rocha (MDB) sancionou, em edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), o novo crédito suplementar de R$ 504 milhões para empresas de ônibus que atuam no transporte público do Distrito Federal. O projeto tinha sido encaminhado pela Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) com apenas uma emenda da oposição, que acabou sendo vetada pelo chefe do Executivo local.

O texto abre crédito suplementar à Lei Orçamentária Anual (LOA) em favor da Secretaria de Transporte e Mobilidade do Distrito Federal (Semob). Dentro da CLDF, o projeto de lei encaminhado pelo Poder Executivo era tratado com muita resistência pela oposição, chegando a ser motivo de embate e obstrução da sessão ordinária de 3 de maio. O projeto, contudo, foi votado no plenário da Casa na terça-feira (10/5), sendo aprovado com 11 votos favoráveis e seis contrários.

No embate, o líder do governo Hermeto (MDB), durante a votação da PL, acabou aceitando a emenda do deputado Chico Vigilante (PT), que destinaria R$ 70 milhões do montante dos R$ 504 mi para a instalação do Centro Integrado de Controle do Sistema Público de Transporte Coletivo. No entanto, a emenda acabou sendo vetada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) na edição desta terça-feira (24/5).

Novo crédito

A Semob, na nova justificativa para um novo crédito, afirma que o repasse aprovado serve para a manutenção do equilíbrio financeiro do sistema de transporte coletivo do Distrito Federal. O valor será financiado pelo excesso de arrecadação proveniente das receitas de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Nos bastidores, tudo indica que o crédito aprovado pelo plenário da CLDF e sancionado pelo Poder Executivo seja o único do ano para as empresas de ônibus,afim de evitar desgaste com os excessivos repasses. Em 2021, cerca de cinco créditos suplementares foram abertos sob a mesma justificativa.

*Estagiário sob supervisão de Pedro Grigori.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE