Investigação

Homem é preso após desviar R$ 800 mil de empresa onde trabalhou 20 anos

O homem trabalhou por 20 anos na empresa, e após o crime de extorsão, foi demitido por justa causa

Correio Braziliense
postado em 06/06/2022 11:22
 (crédito: ED ALVES/CB/D.A Press)
(crédito: ED ALVES/CB/D.A Press)

Um homem, de 59 anos, acusado de desviar mais de R$ 800 mil do caixa da empresa em que trabalhava, foi preso, na manhã da última sexta-feira (3/6). De acordo com as investigações da Polícia Civil, o homem trabalhou por 20 anos na empresa, e, após o crime de extorsão, foi demitido por justa causa. O mandado de busca e apreensão foi expedido pela 6ª Vara Criminal de Brasília. A 5ª Delegacia de Polícia (Asa Norte) cuida do caso.

Segundo a corporação, no mês de março, anonimamente, o homem enviou uma carta, exigindo a quantia de R$ 700 mil em troca de não divulgar segredos que comprometem a credibilidade do estabelecimento comercial. “Durante as investigações, o homem foi intimado a comparecer para prestar sua versão dos fatos. No entanto, apesar de intimado várias vezes, não se apresentou”, destaca o delegado-chefe da 5ª DP, Gleyson Mascarenhas.

Ainda, segundo Gleyson, o acusado enviou, novamente, uma carta com novas ameaças e exigências. “Ele exigia que a vítima “retirasse o inquérito policial” para que os segredos da empresa não fossem divulgados nas redes sociais”, pontuou o delegado-chefe. O acusado foi indiciado por extorsão e coação no curso do processo.

Assalto a turistas

Também na sexta-feira (3/6), a equipe da Polícia Civil prendeu, em flagrante, um homem de 37 anos, que assaltou turistas na região central de Brasília. De acordo com a corporação, o acusado contou com a ajuda de outra pessoa, ainda não identificada. As vítimas foram ameaçadas com uma faca. “Após tomar conhecimento dos fatos, os policiais saíram em diligências e conseguiram prender o criminoso próximo à Praça das Fontes”, reiterou a corporação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE