Pandemia

Vacinados transmitem covid-19, reforça estudo inglês

O estudo envolveu 621 participantes, identificados pelo sistema de rastreamento de contatos do Reino Unido, entre setembro de 2020 e setembro de 2021

Correio Braziliense
postado em 29/10/2021 06:00
Fila em centro de imunização de Barcelona: cuidados em casa -  (crédito: LLUIS GENE / AFP)
Fila em centro de imunização de Barcelona: cuidados em casa - (crédito: LLUIS GENE / AFP)

Pessoas que receberam duas doses de vacina contra covid-19 ainda podem transmitir o vírus em ambientes domésticos, de acordo com um estudo publicado no The Lancet Infectious Diseases. Sabe-se que a maior parte da transmissão da doença ocorre em domicílios, embora haja dados limitados sobre imunização e risco de contágio pela da variante Delta, a cepa dominante do Sars-CoV-2 atualmente.

O estudo, do Imperial College de Londres, envolveu 621 participantes, identificados pelo sistema de rastreamento de contatos do Reino Unido, entre setembro de 2020 e setembro de 2021. Todos tinham covid leve ou eram assintomáticos. Os participantes foram definidos como não vacinados se não tivessem recebido uma única dose da vacina pelo menos sete dias antes da inscrição; parcialmente vacinados se receberam uma dose mais de sete dias antes e totalmente vacinados se receberam as duas doses.

Um total de 205 contatos domiciliares de 53 participantes infectados pela variante delta foram identificados, sendo que 62% dos primeiros receberam duas doses de vacina; 19% apenas uma, e 19% não foram vacinados. Entre as pessoas onde a cepa foi identificada, o tempo médio desde a vacinação foi de 101 dias, em comparação com 64 dias para não infectados. Isso sugere que o risco de infecção aumentou três meses após o recebimento de uma segunda dose, provavelmente devido à diminuição da imunidade protetora. Os autores apontam o declínio da efetividade como evidência importante para que todas as pessoas elegíveis recebam a imunização de reforço.

"As vacinas são essenciais para controlar a pandemia, pois sabemos que são muito eficazes na prevenção de doenças graves e morte por covid-19", diz Ajit Lalvani, que coliderou o estudo. "No entanto, nossos resultados mostram que a vacinação por si só não é suficiente para evitar que as pessoas sejam infectadas com a variante delta e a espalhem em ambientes domésticos."

"Entender até que ponto as pessoas vacinadas podem transmitir a variante delta a outras é uma prioridade de saúde pública", comentou outra coautora, Anika Singanayagam. "Ao realizar amostragens repetidas e frequentes de contatos de casos de covid-19, descobrimos que as pessoas vacinadas podem contrair e transmitir a infecção dentro de casa, incluindo para membros vacinados. Nossos resultados fornecem informações importantes sobre o efeito da vacinação em face de novas variantes e, especificamente, por que a delta continua a causar altos números de casos de covid-19, mesmo em países com altas taxas de vacinação. Medidas continuadas de saúde pública e sociais para conter a transmissão (como uso de máscara, distanciamento social e testes) permanecem importantes, mesmo em indivíduos vacinados."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE