Biodiversidade

Terra ainda tem 9 mil espécies de árvores a serem identificadas, diz estudo

Das 73 mil espécies encontradas pelos pesquisadores, cerca de 14% não são conhecidas

Camilla Germano
postado em 01/02/2022 16:57
Esta é a primeira estimativa da riqueza de espécies de árvores em nível global -  (crédito: CAZZOLLA GATTI ET AL. / PNAS)
Esta é a primeira estimativa da riqueza de espécies de árvores em nível global - (crédito: CAZZOLLA GATTI ET AL. / PNAS)

Das 73 mil espécies de árvores existem no planeta Terra, cerca de 9 mil ainda precisam ser descobertas, de acordo com um estudo da Universidade de Bolonha, na Itália. Segundo os pesquisadores, um terço das espécies ainda não descobertas são raras e com a população restrita tanto em quantidade quanto em áreas.

Os números fazem parte de um estudo da Universidade, publicado na revista acadêmica Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America (PNAS), e enfatiza a riqueza dos ecossistemas terrestres e, ao mesmo tempo, destaca como a biodiversidade florestal é extremamente vulnerável às mudanças induzidas pelo homem — do uso da terra à crise climática — e as espécies raras são as que estão em maior risco. Esta é a primeira estimativa da riqueza de espécies de árvores em nível global.

“O amplo conhecimento da riqueza e diversidade das árvores é fundamental para preservar a estabilidade e a funcionalidade dos ecossistemas. Até hoje, nossos dados sobre grandes áreas do planeta eram muito limitados e baseados em observação de campo e listas de espécies que cobrem diferentes áreas. Essas limitações foram prejudiciais para uma perspectiva global sobre o assunto”, explica Roberto Cazzolla Gatti, um dos autores do estudo.

Para chegar a essa perspectiva, os pesquisadores tiveram que lidar com alguns fatores como a disponibilidade de dinheiro e logística. Para superar esses obstáculos, foram coletadas informações dos mais extensos bancos de dados de espécies de árvores florestais. Esse mapeamento identificou aproximadamente 40 milhões de árvores pertencentes a 64.000 espécies, envolvendo 150 cientistas em todo o mundo e foi realizado dentro da Global Forest Biodiversity Initiative (GFBI).

Com base nesses resultados preliminares, os pesquisadores realizaram análises estatísticas complexas usando inteligência artificial e o supercomputador do Laboratório Forest Advanced Computing and Artificial Intelligence (FACAI) da Purdue University, em Indiana (EUA).

Assim, eles concluíram que existem, aproximadamente, 73.300 espécies de árvores na Terra, 14% a mais do que se conhece atualmente. Ou seja, existem 9 mil espécies desconhecidas. Os pesquisadores acreditam ainda que 40% delas podem estar na América do Sul, mais especificamente nos dois biomas compostos por “campinas, savanas e matagais” e “florestas tropicais e subtropicais” da Amazônia e do Andes.

Aproximadamente 3 mil delas são raras, endêmicas no continente e povoam áreas tropicais e subtropicais.

“Para obter uma estimativa confiável da biodiversidade, precisamos estar atentos ao número de espécies raras que são conhecidas atualmente, aquelas que foram encontradas uma, duas ou três vezes durante a amostragem em campo”, explica Gatti.

“De fato, a maioria das espécies são bastante comuns e numerosas, existem algumas raras e menos ainda aquelas que não conhecemos. Se muitas espécies foram observadas apenas algumas vezes, provavelmente haverá muitas espécies raras que ainda não foram documentadas”, conclui.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE