alimentação

Morar perto de fast food pode aumentar o risco de diabetes tipo 2

Cientistas descobriram que uma maior densidade de estabelecimentos de fast food perto de casa estava associada a um aumento de 8% na probabilidade de diagnóstico de diabetes

Vilhena Soares
postado em 27/04/2022 06:00
 (crédito:  Yalinda De Almeida/Divulgação)
(crédito: Yalinda De Almeida/Divulgação)

Morar perto de restaurantes do tipo fast food pode aumentar o risco de diabetes tipo 2. O alerta foi feito por cientistas internacionais, que acompanharam a rotina nutricional de mais de 12 mil pessoas e analisaram as opções alimentares disponíveis para compra de comida na região em que vivem. Os resultados foram publicados na última edição da revista Plos Medicine.

"Os ambientes alimentares têm impacto na dieta e na obesidade, dois fatores de risco para diabetes, mas esse fator não foi muito explorado em estudos científicos", destacaram os pesquisadores, no artigo. Na investigação, a equipe avaliou dados relacionados à rotina alimentar de 12.167 pessoas que viviam em Bangladesh e no Sri Lanka, de 2018 a 2020.

Os especialistas também reuniram informações médicas dos voluntários, como diagnóstico prévio da doença metabólica e níveis de glicose no sangue em jejum. Realizaram ainda um mapeamento das ofertas alimentares na região de residência dos voluntários. "Coletamos dados sobre o comércio de refeições disponível a até 300m da casa de cada participante, categorizando o tipo de loja e classificando os produtos como saudáveis ou não", detalharam os pesquisadores.

Glicose

Por meio das análises, os cientistas descobriram que uma maior densidade de estabelecimentos de fast food perto de casa estava associada a um aumento de 8% na probabilidade de diagnóstico de diabetes — ter pelo menos um varejista de alimentos não saudáveis nas proximidades da residência foi associado a um aumento de 2,14mg/dL (miligramas por decilitro) de glicose no sangue. Além disso, mulheres e pessoas de alta renda eram mais propensas a apresentar níveis mais elevados de diabetes mellitus.

Os cientistas acreditam que os dados verificados servem como um alerta valioso para a população. "Nossos resultados mostram que intervenções direcionadas ao meio ambiente podem ser eficazes na prevenção do diabetes. É preciso que as pessoas estejam atentas, pois, sem querer, por comodismo, podem acabar adotando uma dieta mais calórica e prejudicial", destacou, em um comunicado à imprensa, Marisa Miraldo, pesquisadora do Imperial College Business School, no Reino Unido, e um dos autores do estudo. "Com o número de casos de diabetes aumentando em todo o mundo, também é importante que empresas e varejistas de alimentos e bebidas intensifiquem suas agendas de sustentabilidade, para promover melhores dietas e, com isso, prevenir essa enfermidade", acrescentou a especialista.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE