PULMÃO

Entenda o que é a pneumonite, doença que causou a morte de Abilio Diniz

Reportagem conversou com pneumologista para explicar sobre a doença e causas da pneumonite, que se refere à inflamação nos pulmões

Pneumonite é uma inflamação dos tecidos pulmonares, entre elas estão: alergias, exposição a certos produtos químicos e outros -  (crédito: unsplash/ Robina Weermeijer)
Pneumonite é uma inflamação dos tecidos pulmonares, entre elas estão: alergias, exposição a certos produtos químicos e outros - (crédito: unsplash/ Robina Weermeijer)
postado em 19/02/2024 18:55 / atualizado em 19/02/2024 18:55

Abilio Diniz, fundador do Grupo Pão de Açúcar, morreu na noite de domingo (18/2), aos 87 anos. O empresário estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, com pneumonia, e faleceu por insuficiência respiratória desencadeada por uma pneumonite. O Correio conversou com o médico pneumologista do Hospital Santa Lúcia Sul, William Schwartz, que explicou sobre a doença e os principais sintomas.

“Pneumonite é uma inflamação dos tecidos pulmonares, que pode ser causada por vários fatores, entre elas: alergias, exposição a certos produtos químicos (alta concentração de amônia ou exposição a cloro); radiação e, em alguns casos, por reação a alguns medicamentos. Na pneumonite é possível observar uma reação desencadeada por irritantes ou alérgenos — substância de origem natural, resultando em uma resposta inflamatória no tecido pulmonar”, detalha Schwartz.

A pneumonite e pneumonia tem como principal diferença a causa subjacente, mas ambos se referem à inflamação nos pulmões. Enquanto a pneumonia está relacionada às causas infecciosas, a pneumonite se refere às químicas. “Pneumonia é uma infecção dos pulmões causada principalmente por bactérias, vírus ou até mesmo por fungos, caracterizada pela presença de inflamação e acúmulo de fluido nos alvéolos pulmonares. Já a pneumonite é tipicamente uma inflamação sem infecção, causada por exposição a substâncias irritantes ou alérgicas. Embora os sintomas possam ser similares, o tratamento e a etiologia diferem significativamente, focando principalmente na causa”, pontua.

Principais causas da pneumonite:

  • Inalação de poeira orgânica ou inorgânica, como mofo, fibras de asbesto ou sílica;
  • Exposição a alguns produtos químicos, como cloro, amônia e alguns gases industriais;
  • Radioterapia no tórax, como parte do tratamento para câncer;
  • Reação adversa a determinados medicamentos, incluindo alguns antibióticos, quimioterápicos e medicamentos para arritmia cardíaca;
  • Doenças autoimunes que podem afetar os pulmões;
  • Reações alérgicas a aves (pneumonite por hipersensibilidade);
  • Uso prolongado de dispositivos eletrônicos de aquecimento, como os umidificadores de ar, se não forem regularmente limpos.

De acordo com o pneumologista, os sintomas da doença podem variar de acordo com o quadro do paciente, e pode ocorrer variação dependendo da causa, da extensão da exposição ao agente irritante ou alérgeno, e da resposta individual do organismo.

“Como sintomas leves ressalto a tosse seca (um dos primeiros sintomas, que pode persistir por um longo período), fadiga e dificuldade leve para respirar. Em sintomas moderados ou intermediários, podemos destacar a piora progressiva da dificuldade para respirar, dor no peito ou desconforto, surgimento de febre e calafrios. Já em sintomas graves é possível observar: Cianose (coloração azulada da pele e das mucosas devido à falta de oxigênio), confusão mental ou desorientação decorrente da hipóxia e insuficiência respiratória”, classifica.

Ainda conforme Schwartz, vale lembrar a importância de procurar avaliação de um pneumologista para o diagnóstico precoce e planos de tratamento personalizados. Confira a seguir algumas medidas cabíveis para prevenir danos pulmonares:

  • Evitar a exposição ao agente causador (conhecer potenciais riscos e uso de equipamentos de proteção individuais são fundamentais);
  • No tratamento da inflamação recorremos ao uso de corticosteroides para redução;
  • Medicação para controlar sintomas específicos, como a tosse;
  • Oxigenoterapia — tratamento com oxigênio extra aos pulmões — em casos de dificuldade respiratória severa, podendo até mesmo recorrer a intubação endotraqueal para casos mais avançados e graves;
  • Em casos de pneumonite por hipersensibilidade, pode ser necessário tratamento adicional para controlar as reações alérgicas.

*Estagiária sob supervisão de Pedro Grigori

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação