Música

‘É a hora de trazermos mensagens positivas’, diz Hungria sobre novo EP

Em ‘Cheiro do mato’, Hungria se aventura no acústico para transbordar paz

Lucas Batista*
postado em 27/08/2020 13:04 / atualizado em 27/08/2020 15:21
O EP 'Cheiro do Mato' de Hungria Hip Hop conta com cinco canções -  (foto: Conrado Nobre/Divulgação)
O EP 'Cheiro do Mato' de Hungria Hip Hop conta com cinco canções - (foto: Conrado Nobre/Divulgação)

Conhecido pelas músicas nas batidas do rap, o cantor Hungria Hip Hop se reinventou, cantando em versão acústica, para lançar o EP Cheiro do mato. O trabalho, que foi disponibilizado nas plataformas de streaming, conta com cinco canções, sendo quatro inéditas e uma regravação de um dos maiores sucessos do rapper, a música Um pedido.

Hungria explica que a adaptação para o acústico se dá pelo momento complicado do mundo, no qual, para ele, é necessário trazer mensagens de reflexão. “A música é importante a todo momento, ainda mais agora nessa pausa que o mundo deu. É a hora de trazermos mensagens positivas. Não fazia sentido eu estar soltando trabalhos falando de de festas, como eu sempre fiz, se nós estamos dentro de casa. É o momento de refletir e pensar, o objetivo desse projeto é levar harmonia e paz desde o primeiro arranjo até a última palavra da rima”, conta e entrevista ao Correio.

Partir dos beats do rap para partir para o orgânico do acústico não é uma adaptação fácil, mesmo assim Hungria não se intimidou com a dificuldade. “A diferença é grande. Quando gravamos um rap, geralmente estou com meu produtor no estúdio. No acústico existem mais de 10 pessoas envolvidas, desde quem toca violino até a pessoa da mesa de som. Mas não encaro como uma dificuldade, é só mais uma barreira que estamos quebrando”.

Aos fãs que preferem o Hungria raiz, o rapper tranquiliza afirmando que logo volta ao estilo que se notabilizou na carreira. “Na real eu não migrei totalmente para o acústico, é só um projeto que eu tinha vontade de fazer há um tempo. Agora foi o momento, consegui escrever e trazer mais sentimento para as músicas. Só dei um pulo no acústico e daqui a pouco eu volto”.

As cinco canções do projeto foram gravadas em um mesmo dia, acompanhadas de videoclipes que são lançados semanalmente. O primeiro a ser divulgado foi o de Amor e fé.

Para entrar no clima do Cheiro do mato, Hungria se isolou com o parceiro de composição das faixas inéditas, Luan Padal, em um sítio próximo a casa do artista. “Nos jogamos no projeto. Cheiro do mato é porque quando estou em um momento de reflexão, procuro estar no meio da natureza, porque ela me remete muito a Deus. É paz e tranquilidade. Nunca tinha escrito músicas com ninguém. O Luan é uma pessoa que eu me identifico muito, é uma pessoa muito calma, quando você está perto dele, é como se realmente sentisse o cheiro do mato, porque ele é essa paz pura. É muito bom trabalhar com amigos, às vezes ficamos até 5h gravando e nós dois felizes, porque fazemos o que amamos”, esclarece.

Hungria Hip Hop é um dos rappers com maiores números do Brasil. O cantor conta com mais de 2 milhões de ouvintes mensais no Spotify e passou de 2 bilhões de acessos no canal oficial no YouTube. Para o rapper, que cresceu no Distrito Federal, os números alcançados são gratificantes. “Em nenhum momento pensei em dinheiro, sempre sonhei em ser reconhecido. Então quando vejo as pessoas cantando minha música, não tem preço. Tudo acontece na hora certa. Penso que se fosse para começar do zero hoje, eu não teria o peito para fazer tudo que eu conseguia quando era muleque. Eu saía de madrugada para entregar CD, pedia para cantar na casa de shows dos outros. Então é muito gratificante ver o que conquistei”, completa.

Confira a canção Pisando na lua:

*Estagiário sob a supervisão de Ricardo Daehn

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação