Premiação

Aquecimento para o VMA 2020: Relembre situações inusitadas do prêmio

De Nirvana quebrando o palco a briga de Kanye West e Taylor Swift, o Correio rememora momentos marcantes da premiação

Pedro Ibarra*
Paula Barbirato*
postado em 29/08/2020 10:00
 (foto: Kevork Djansezian/Getty Images/AFP)
(foto: Kevork Djansezian/Getty Images/AFP)

Neste domingo (30/8), serão entregues em Nova York os VMAs, estatuetas de um dos principais premiações de música dos Estados Unidos. A premiação é realizada desde 1984 tendo agraciado grandes nomes da música com o famoso astronauta prateado, prêmio distribuído para os vencedores.

Ao longo destes mais de 35 anos de VMA, alguns momentos marcaram de forma, tensa, engraçada e até assustadora. O Correio fez uma lista de cinco casos que são memoráveis da história do VMA.

Confusões do Nirvana - VMA 1992

Nirvana vivia o ápice da carreira, logo após o lançamento e turnê do disco Nevermind, e o grupo foi convidado para se apresentar no VMA daquele ano. A banda havia acabado de lançar o single Rape me e queria tocar a música ao vivo, mas pela canção levar a palavra “estupro” no título e no refrão, ela foi barrada de ser cantada no prêmio.

Após muita negociação entre a banda e a MTV, ficou decidido que os precursores grunge apresentariam Lithium ao vivo. No entanto, quando Kurt Cobain, Krist Novoselic e Dave Grohl subiram no palco, eles começaram cantando os primeiros versos de Rape me, antes de tocar a música certa. Por fim, o trio quebrou os instrumentos e derrubou as estruturas do palco, Krist chegou a jogar o baixo pro alto, deixou cair na própria cabeça e saiu cambaleando.

Os membros do Nirvana, que concorriam a quatro prêmios pelo sucesso Smells like teen spirit, ainda causaram uma intriga nos bastidores ao se envolverem em uma briga com os integrantes do Guns n’ Roses, que quase foi a vias de fato. Kirk Novoselic, inclusive, cuspiu em um piano, achando Axl Rose tocaria nele, mas o instrumento era de Elton John. Ao final da apresentação destrutiva, Grohl gritou no microfone “Olá Axl”, em tom de deboche ao vocalista dos Guns.


Tim Commerford do Rage Against The Machine - VMA 2000

A história clássica do mau perdedor aconteceu no VMA 2000. A banda Rage Against The Machine concorria ao prêmio de Melhor vídeo de rock, com Sleep now in the fire, clipe em que fecharam a Wall Street para gravações, mas perderam para Break stuff da banda Limp Bizkit, que parecia uma candidata mais fraca.

No calor do momento o baixista Tim Commerford, da banda perdedora, saiu andando pelas cadeiras, invadiu o palco e, no meio do discurso dos vencedores da categoria, subiu na estrutura metálica que fazia parte da cenografia, a balançando na intenção de derrubá-la. O artista teve que ser retirado do local e foi levado pela polícia, o restante da bando foi expulso da premiação.


Madonna beija Britney Spears e Christina Aguilera - VMA 2003

Madonna, Britney Spears, Christina Aguilera e Missy Elliot fizeram um medley das músicas Like a virgin e Hollywood com direito a vestidos de noiva, coreografias e um cenário espalhafatoso.

O fato que transformou apresentação em um marco da premiação foi que, um pouco antes da entrada de Missy Elliot, entre coreografias, Madonna e Britney Spears se beijam e o momento é seguido por um beijo de Madonna e Aguilera.



O fato fica mais interessante, pois a câmera corta para Justin Timberlake logo depois, o cantor estava muito desconcertado com toda a situação e muitos atribuem ao fim do namoro do ex-NSync com Spears em 2002.


Kanye West vs. Taylor Swift - VMA 2009


Talvez a mais famosa briga da história dos VMAs foi a gerada pela interrupção do discurso de Taylor Swift por Kanye West. A cantora, na época com 19 anos, ganhou o prêmio de Melhor vídeo feminino pela música You belong with me e, enquanto fazia o discurso, teve o microfone tomado pelo rapper. A estrela do hip-hop afirmou não ser sobre ele ou Taylor, mas pelo fato de Beyoncé ter perdido a categoria com “um dos melhores vídeos da história”, do hit Single ladies.

A situação foi contornada apenas pela própria Beyoncé, que acabou levando o prêmio da noite, o de Clipe do ano e cedeu parte do tempo de discurso para que Taylor pudesse terminar os agradecimentos interrompidos por Kanye.

Contudo, a discussão não se conteve apenas naquele VMA. Uma rivalidade entre os dois artistas envolvidos perdurou por um tempo. Em 2010, Taylor Swift apresentou na mesma premiação a canção Innocent, na qual dizia na letra que havia perdoado o rapper, mas a proporção aumentou muito se tornando um debate sobre racismo e sexismo na indústria da música.

O capítulo mais recente da troca de farpas das duas estrelas foi em 2016, quando Kanye West cantou na música Famous, do disco Life of Pablo, que Taylor deveria transar com ele, pois ele “a fez famosa”.


Gravidez de Beyoncé - VMA 2011


A performance que trouxe o inesperado, a surpresa e a emoção foi protagonizada por Beyoncé. Antes de entrar no espaço o qual acontecia o evento, a artista, enquanto estava sendo fotografada, apontou para a barriga e disse que tinha uma surpresa, o que, no primeiro momento, gerou todo um suspense.

Apesar de Lady Gaga e Katy Perry concentrarem as premiações, o ponto icônico da edição de 2011 foi a apresentação de Beyoncé cantando Love on Top, quando, ao final da canção, larga o microfone e passa a mão na barriga, levando a plateia a loucura. A câmera, imediatamente, foca em Jay-Z, que aparece, emocionado, comemorando.

*Estagiários sob supervisão de Adriana Izel

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação