Show

Projeto Grandes Pequeninos promove lives comemorativas ao Dia das Crianças

Os shows virtuais da iniciativa proposta por Jair Oliveira e Tania Khalill com as filhas serão neste sábado (17/10) e domingo (18) no YouTube

Adriana Izel
postado em 17/10/2020 07:00
 (crédito: Grandes Pequeninos/Divulgação)
(crédito: Grandes Pequeninos/Divulgação)

O Dia das Crianças já passou, mas as celebrações não. O projeto Grandes Pequeninos, encabeçado pelo cantor e compositor Jair Oliveira e pela atriz Tania Khalill, fará duas lives comemorativas da data neste fim de semana, a partir das 16h, no canal oficial do YouTube. Ao Correio, Tania falou sobre a iniciativa, o show que terá como base o mais recente trabalho Espelho meu e também da importância da música na infância. Confira!

Entrevista // Tania Khalill, do Grandes Pequeninos

O que o público pode esperar dos shows virtuais?
Muita diversão! Muita música! Uma grande viagem para dentro de si mesmo. Esse CD (Espelho meu), fala sobre essa trajetória do autoconhecimento das crianças e dos pais e de como a gente pode fazer isso em várias circunstâncias da nossa vida. O Espelho meu também fala da aceitação do outro a partir do momento que a gente aceita a si mesmo, se conhece e se respeita. A peça é muito divertida, tudo isso é tratado de uma maneira lúdica, onde a gente está em busca de um tesouro mágico. Através do espelho mágico a gente faz uma grande viagem. A história é maravilhosa e as músicas vão permeando essa viagem.

Como surgiu a ideia de criar o Grandes Pequeninos?
O Grandes Pequeninos surgiu com o nascimento da Isabela. O Jair, com as atividades do dia a dia, como banho, passeio, cadeirinha do carro e vacinação, começou, para cada uma dessas atividades cotidianas com o bebê, a fazer uma música. Então, essas coisas tão lindas que as crianças trazem para as vidas dos pais foi inspirando-o a fazer músicas para a Isabela. Depois de um tempo, tinha tanta música que eu falei que ele precisava gravar. Era demais, pois nós fazíamos as coisas do dia a dia já cantando as músicas. Então ele resolveu gravar um disco que foi lançado um livro/CD com as ilustrações da Mariana Caltabiano. Esse disco ficou marcado não só na nossa vida, como em várias famílias, e foi indicado ao Grammy.

Vocês já estão no terceiro álbum reunindo a família na música. Como se dá esse processo tanto de concepção das músicas como na gravação das faixas em si?
A gente sempre pensa na proposta do que queremos e do que vivemos com os nossos filhos no dia a dia. São coisas muito orgânicas que vão surgindo, temas que queremos propor para elas refletirem no mundo ou indagações e questionamentos que vivemos no nosso dia a dia e, principalmente, a mensagem que queremos transmitir.

As músicas foram compostas para acrescentar algo, deixar uma mensagem, acolher corações, falar que tudo bem sentir medo e valorizar as diferenças. Propor para a criança que ela aceite e perceba que é a sua melhor amiga. Valorizar a natureza, a importância da leitura, de escovar os dentes, de lavar as mãos e de se alimentar. São coisas que permeiam a vida da criança e dos pais, através das canções a criança percebe questões que muitas vezes só falando fica muito doutrinador. A música chega e aborda a questão com uma leveza e diversão e a criança compreende de um outro lugar. As músicas são pensadas e compostas de acordo com coisas que gostaríamos de propor como mundo, que acreditamos ser importante, ser valorizado e aceito.

Para vocês, qual é a importância da música para os pequenos e como a musicalização pode ajudar as crianças?
A música é de extrema importância. Ela traz a mensagem de uma forma tão bonita e acessa o nosso sensorial, principalmente das crianças, de uma forma imediata. A audição é algo que a criança já obtém intrauterinamente, então observamos que aquela que é colocada em contato com a música desde a primeira infância, tem o sensorial aflorado de várias maneiras. A audição é muito enriquecedora para o desenvolvimento da criança e a música chega para facilitar, ampliar a compreensão da criança do mundo. O corpinho dela dança enquanto ela entende, enquanto canta e vários valores que os pais querem passar fica mais fácil.

O canal do Grandes Pequeninos é bastante agitado de conteúdos no YouTube. Neste ano, vocês lançaram os clipes do mais recente trabalho. Como é o processo de trabalho de vocês para o canal e para essa interação com a web?
O canal dos Grandes Pequeninos é um acesso que temos a crianças e a família. Os clipes têm milhões de visualizações e as crianças gostam de repetição, elas assistem o vídeo muitas e muitas vezes. A gente fica muito feliz quando fazemos os projetos no nosso Instagram, como a “Livemvocê”, onde na live aceitamos o pedido das pessoas que querem participar e olhamos a criança e ouvimos ela cantar. Essas lives foram um grande presente na nossa vida. É a sensação de estar no palco ampliado, pois no palco a gente vê o público, chama as crianças, olha nos olhinhos deles e a emoção é única. Já na live, quando você sabe que a criança acorda com a música Vamos acordar toda animada, com alegria de um novo dia, que é o que a gente propõe nessa música, com um dos clipes mais visualizados, é de muita importância pra gente. É isso que faz sentido! Quando a gente tem o contato com o público e o retorno que a gente tem do projeto é de uma gratidão incrível. Esse trabalho é de mão dupla. Nosso coração fica cheio de certeza que é isso que a gente deseja como artista e como pessoa.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação