Animação

'Poema visual', define Glen Keane sobre a animação 'A caminho da lua'

Produção 'A caminho da lua' estreia sexta-feira (23/10) na Netflix valorizando a cultura chinesa e com mensagem sobre 'seguir em frente'

Adriana Izel
postado em 22/10/2020 06:01
 (crédito: Netflix/Divulgação.)
(crédito: Netflix/Divulgação.)

Grande nome ligado a produções da Disney como A Bela e a Fera e A Pequena Sereia e vencedor do Oscar pelo curta-metragem de Kobe Bryant (Dear Basketball), o diretor de animação Glen Keane é a aposta da Netflix para o cenário das animações. Ele é o responsável por A caminho da lua, filme que estreia na sexta-feira (23/10) na plataforma e promete emocionar o público com uma história que celebra a cultura chinesa e tem como temática mostrar a importância de seguir em frente diante do inesperado.

O filme acompanha a história de Fei Fei, uma jovem que, após uma perda que impacta a vida dela, decide provar para a família a existência da mítica figura chinesa da deusa da Lua, Chang'e. Para isso, monta uma nave para alcançar o satélite. Lá, ela vive uma aventura que trará como mensagem a necessidade de lidar com o novo. “Pra mim, é um poema visual. É uma história que narrativamente tem vários símbolos. É uma criança que nunca deixou de fazer coisas impossíveis. Ela foge, mas não é só uma fuga, como em O Mágico de Oz, ela criou uma nave para a lua para fugir dos problemas, porque ela gostaria que as coisas voltassem a ser como antes. Mas a questão é que elas não voltam, não vivemos assim. Vivemos indo para frente. A única coisa que a destrava é ver alguém com a dor parecida. A compaixão é o que nos faz destravar e é isso que acontece com Fei Fei”, explica.

A história é baseada no roteiro de Audrey Wells, que trouxe a própria experiência para o filme e o escreveu como uma mensagem para a filha, já que, na época, ela lutava contra um câncer. Ela morreu em outubro de 2018, dois anos antes da estreia. “A história é tão pessoal. Não era um ponto teórico, mas verdadeiro. Ela queria deixar algo para a filha dela. E levamos isso muito a sério. Uma das minhas preocupações era como contar uma história que tem uma mensagem adulta, mas para comunicar com as crianças.O único jeito de fazer isso era pela Fei Fei. Entramos na pele dela e vemos tudo pelos olhos e pelo coração dela”, define Glen Keane.

A produção também busca ter outra perspectiva, tirando a narrativa comum do Ocidente e seguindo para o Oriente. Foi uma visita à China que fez Keane querer esse ponto de vista. “Fiquei tão emocionado pela empolgação das crianças chinesas com as nossas histórias, que pensei que deveria contar a história deles. Era importante que fosse uma autêntica história chinesa. Abraçamos não só a lenda, mas a cultura moderna, com as melhores de intenções”, completa.

Novas experiências

Cena da animação A caminho da lua da Netflix
Cena da animação A caminho da lua da Netflix (foto: Netflix/Divulgação)

 

Glean Keane revela que A caminho da lua é o trabalho em que ele mais desenhou. Isso porque o diretor decidiu fazer a parte da lenda de Chang'e remetendo as ilustrações clássicas da lenda chinesa. "Amo desenhar. Pra mim é o meu jeito de dirigir. A minha vida na animação sempre passou pelo desenho", completa. Assim, quando o espectador ver a história da deusa da Lua sendo narrada pela mãe de Fei Fei verá traços de Keane, que remetem a algo mais tradicional. "Passei muito tempo vendo imagens de Chang'e coloquei isso na animação. Era uma parte importante, porque o público a vê de uma forma para depois virarmos essa representação do avesso", adianta.

A chegada à Netflix é um caminho natural para o diretor, que foi uma das lendas da Disney. Ele conta que em um certo momento sentiu vontade de sair da zona de confortável. Dessa forma, fez o primeiro trabalho com a Google e depois para o balé de Paris, até que foi convidado por Kobe Bryant para o curta-metragem vencedor do Oscar. A decisão de integrar o serviço de streaming é apontada por Keane como uma forma de transcender: "Conheço gente do mundo todo, queria me conectar com essas pessoas. A Netflix tem acesso a gente de todo o mundo e podemos trazer outros pontos de vistas".

Leia aqui entrevista com Priscilla Alcantara, que gravou Vou voar, trilha sonora de A caminho da lua

Confira ao trailer de A caminho da lua

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação