Lançamento

Gal Costa lança músicas com Rubel e Jorge Drexler

Singles fazem pare da série provisoriamente intitulada 'Gal 75', que comemora os 75 anos da cantora

Correio Braziliense
postado em 18/12/2020 16:25 / atualizado em 18/12/2020 16:25
 (crédito: Julia Rodrigues/Divulgação)
(crédito: Julia Rodrigues/Divulgação)

A cantora Gal Costa lançou, nesta sexta-feira (18/12), nas plataformas digitais de música, dois novos singles do projeto provisoriamente intitulado Gal 75, que comemora os 75 anos da cantora, 55 de carreira, em uma série de duetos com artistas de diferentes gerações, em releituras de músicas que se tornaram clássicos na voz da diva da MPB.

Nesta sexta-feira, chegam às prateleiras virtuais as parcerias com com o carioca Rubel, em Coração vagabundo (Caetano Veloso), e com o uruguaio Jorge Drexler, em Negro amor (Caetano Veloso/Péricles Cavalcante).

Rubel, Fluminense da cidade de Volta Redonda, já subiu ao palco de Gal Costa para uma apresentação no show A pele de futuro, na Fundição Progresso (RJ), pouco antes do início da quarentena. O registro ao vivo do dueto em Baby, também de Caetano, chegou a ser lançado nas plataformas digitais.

A dupla volta agora com Coração vagabundo, lançada originalmente no primeiro álbum de Caetano Veloso e Gal Costa, Domingo, de 1967. “Meu coração não se cansa de agradecer o privilégio que é poder cantar uma das minhas músicas preferidas, de um dos meus discos preferidos (Domingo), ao lado da maior cantora do Brasil. Tentei ser o mais fiel possível à estética minimalista do próprio disco Domingo, do violão "João Gilbertiano" do Caetano, respeitar e reverenciar o que já é perfeito e belo. Essa é nossa segunda parceria. Espero que a segunda de muitas”, escreveu Rubel, em citação reproduzida no material enviado à imprensa.

Jorge Drexler participou da música Negro amor, uma versão de Caetano Veloso e Péricles Cavalcante para a música It's all over now, baby blue, de Bob Dylan. A versão foi lançada originalmente no álbum Caras e bocas, de Gal, lançado em 1977.

Drexler gravou a parte dele em Madri, onde vive. Grande conhecedor da música popular brasileira, o artista também homenageou Gal com uma décima, um tipo de poema escrito em uma estrofe de dez versos. Leia!

Boca de carmim profundo,
noite profunda o cabelo,
é uma voz puro desejo:
todo o desejo do mundo.
Naquele primeiro segundo
que ouvi seu canto floral
-feito de seda e cristal-
meu coração juvenil
pensou “já entendo o Brasil:
Brasil é a voz de Gal”.

O projeto Gal 75 reúne os convidados os convidados Criolo, Rubel, Rodrigo Amarante, Seu Jorge, Silva, Tim Bernardes, Zé Ibarra e Zeca Veloso, o português António Zambujo e Jorge Drexler. Por terem sido produzidas em meio à pandemia, as dez faixas foram gravadas em seis cidades: Rio de Janeiro, São Paulo, Lisboa, Madri, Los Angeles e Vitória. Os singles estão sendo lançados de dois em dois, e ao final serão editados em formato físico - LP e CD - em fevereiro de 2021, pela gravadora Biscoito Fino.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE