ARTES PLÁSTICAS

Investigações sobre o mundo contemporâneo por meio de imagens

Até o dia 19 de setembro, é possível conferir o mergulho autoral de Taigo Meireles em reflexões que vão da história da arte até a atual cultura de hiperexposição de imagens

Nahima Maciel
postado em 29/06/2021 06:00 / atualizado em 29/06/2021 06:00
A produção de grande quantidade de imagens é um dos temas investigados pelo pintor -  (crédito: Haruo Mikami/Divulgação)
A produção de grande quantidade de imagens é um dos temas investigados pelo pintor - (crédito: Haruo Mikami/Divulgação)

Taigo Meireles passou os últimos anos trabalhando em um projeto no qual investiga técnicas de pintura e linguagens. Isolado num sítio próximo a Ceilândia, onde construiu um ateliê, o pintor se concentrou na produção de mais de 40 obras do projeto Écran. É desse conjunto que sai Imago, exposição com 34 pinturas em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) a partir de hoje. “Com essa coisa de morar no sítio eu já estava isolado, foi um momento de produção muito intensa para mim essa pandemia. Deixei de sair totalmente e isso rendeu muito, produzi duas exposições neste período”, conta Taigo.

Com curadoria de Agnaldo Faria, Imago é uma pincelada em tudo que Taigo produziu nos dois últimos anos. “É uma continuidade do projeto Écran, onde expandi todas as temáticas que já tinha explorado e as técnicas também. Consegui trabalhar tudo quanto é recurso pictórico nessa série e é um trabalho que surge de uma espécie de conflito intelectual entre tradição e contemporaneidade”, avisa.

Nas telas, o artista resgata temas da história da arte, faz dezenas de citações, diretas e indiretas, e até versões de obras, seja evocando uma composição, seja recuperando uma postura ou uma temática tradicional da história da arte. “É uma reflexão sobre a imagem no mundo contemporâneo a partir de uma colisão entre as imagens da tradição e os excessos contemporâneos, a hiperexposição, a sobreposição de imagens. É desse conflito que eu resgato certos conteúdos para a pintura”, explica Taigo.

Além do aspecto temático e narrativo, o pintor também mergulha na experiência com as técnicas e o faz, eventualmente, até de maneira subversiva, misturando modos tradicionais de pintar com cortes, sobreposições, velaturas, emplastros e transparências. As imagens e a narrativa, ele explica, são importantes, mas o interesse maior de Taigo repousa no exercício da pintura e na exploração da linguagem.

Diante do excesso de imagens do mundo contemporâneo, o artista se pergunta se a pintura ainda pode investigar e propor questões. “E eu sinto que sim, mesmo diante de um mundo de absoluto excesso de exposição às imagens, a pintura ainda possui potência e força para propor. Isso, para mim, é incrível, é uma força que me move no sentido de praticar uma técnica, praticar a pintura num mundo vertiginosamente poluído por imagens de todo tipo”, garante..


Imago – Pinturas de Taigo Meireles

Visitação de 29 de junho a 19 de setembro, no Centro Cultural Banco do Brasil Brasília (Setor de Clubes Esportivos Sul, Trecho 2, Lote 22), de terça a domingo, das 9h às 21h. Entrada gratuita, mediante agendamento pelo app Eventim ou site www.eventim.com.br. Classificação indicativa livre

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE