ENTREVISTA

Caetano Veloso no ‘Roda viva’: "Eu parecia a Luísa Sonza, só não era loira e linda"

Artista contou sobre as transitoriedade entre gêneros na música e declarou que o próprio não se limita ao masculino e ao feminino

Ronayre Nunes
postado em 20/12/2021 22:31 / atualizado em 20/12/2021 22:31
O artista lembrou as referências de Mick Jagger -  (crédito: Reprodução/Roda Viva)
O artista lembrou as referências de Mick Jagger - (crédito: Reprodução/Roda Viva)

Nesta segunda-feira (20/12), o cantor Caetano Veloso voltou à cadeira do programa Roda viva. O artista enfrentou as perguntas de Luiz Antonio Simas, professor e escritor, Adriana Couto (TV Cultura), Mariliz Pereira Jorge (Folha de S. Paulo), Maria Fortuna (O Globo), Leonardo Lichote (crítico musical) e Ademir Correa (Rolling Stone Brasil). O programa teve o comando de Vera Magalhães.

Este ano, Caetano lançou Meu coco, primeiro álbum de inéditas depois de Abraçaço (2012) e o artista usou o programa para divulgar o novo trabalho.

Logo no começo do programa, Caetano falou sobre a transitividade dos gêneros. O artista lembrou as referências de Mick Jagger para explicar o quanto transitava entre o masculino e o feminino.

“Quando eu vi o primeiro show dos Rolling Stones, com o Mick Jagger com toda aquela bicharia eu achei espetacular, e eu já fazia um pouco isso aqui, já tinha feito em festivais. No 'É proibido proibir', eu dançava com o quadril, parecia a Luisa Sonsa, só não era loira e linda”, declarou arrancando risadas dos convidados.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE