Dólar volta a subir e fecha a R$ 5,52; Ibovespa cai 1,19%

Proposta de orçamento do ano que vem e relatório da Fomc repercutiram no câmbio e na bolsa de valores

Jailson R. Sena*
postado em 19/08/2020 18:16 / atualizado em 19/08/2020 18:18
 (foto: Divulgação/Governo Federal)
(foto: Divulgação/Governo Federal)

Depois de registrar queda na terça-feira (18/8), o dólar voltou a subir e fechou esta quarta (19/8) sendo vendido a R$ 5,52. O Ibovespa, principal índice da B3, teve queda de 1,19%, mas seguiu acima dos 100 mil pontos e encerrou o dia aos 100.853 pontos.

A proposta de orçamento para 2021 do governo federal que vai ser enviada ao Congresso foi um dos assuntos que impactaram o valor do câmbio. “Tem uma discussão em torno do teto de gastos e uma pressão para que os recursos sejam mais flexíveis à alocação entre as pastas. Isso tem gerado um elevado descontamento sobre a questão do teto”, avalia Simone Pasianotto, economista-chefe da REAG e professora de economia na ESPM.

Ainda no cenário local, o governo estuda prorrogar o auxílio emergencial até dezembro, mas com um valor inferior aos R$ 600. Porém, as lideranças partidárias defendem mais uma parcela de R$ 600 e duas de R$ 300. “Isso não amenizou a questão do orçamento para o ano que vem”, pontua Simone.

Em relação ao Ibovespa, o que desagradou os investidores foi a ata da última reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), que destacou os impactos provocados pela pandemia na atividade econômica, empregos e a inflação.

O Brasil foi citado no relatório. “A ata do Fomc fez uma referência ao país, citando que o real se desvalorizou diante do dólar em meio à turbulência política e aos crescentes casos do coronavírus no país. Isso não foi bem recebido pelos investidores”, explica a economista.

Por outro lado, os investidores se animaram com a declaração da presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi. Ela sinalizou que os Democratas podem fazer mudanças no pacote de estímulos à economia para se chegar a um acordo com os Republicanos. Também há a percepção de que o pico de casos do novo coronavírus no sul e sudoeste do EUA já foi atingido.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação