Índice usado para corrigir aluguel tem alta em setembro

Aumento acumulado neste ano já chega a 14,40%. Outros marcadores ajudam a puxar a inflação

Jailson R. Sena*
postado em 29/09/2020 14:02 / atualizado em 29/09/2020 15:14
 (crédito: Antonio Cunha/CB/D.A Press)
(crédito: Antonio Cunha/CB/D.A Press)

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), índice que corrige o aluguel, teve alta de 4,34% neste mês de setembro, percentual superior em relação a agosto, quando havia apresentado taxa de 2,74%. Com este resultado, o índice acumula alta de 14,40% no ano e de 17,94% em 12 meses segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV) que informou nesta terça-feira (29).


“Nesta edição, os três índices componentes do IGP-M registraram aceleração. O índice de preços ao produtor segue influenciado pela alta de grandes commodities, como a soja em grão que subiu 14,32% em setembro”, afirma André Braz, Coordenador dos Índices de Preços.


Como um dos componentes do IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) subiu 5,92% em setembro, ante 3,74% em agosto. Na análise por estágios de processamento, a taxa do grupo Bens Finais aumentou em 2,83% em setembro.

No mês anterior, o índice havia registrado taxa de 1,25%. A principal contribuição para este resultado partiu do subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 2,98% para 5,99%, no mesmo período.

A FGV também informou o aumento do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) que subiu 0,64% em setembro, ante 0,48% em agosto e o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) com alta de 1,15% em setembro, ante 0,82% no mês anterior.

"No IPC, o destaque coube ao subgrupo recreação cuja a variação foi de 4,77%, sob influência de passagens aéreas que avançaram 23,74% nesta apuração. Por fim, no INCC destacam-se materiais e equipamentos, cujos os preços avançaram em média 2,97% no mês e 9,67% em 12 meses”, finalizou André Braz.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação