Economia DF

Índice de Preços em Brasília é menor que nas outras capitais

Mas itens como alimentação, habitação e vestuário tiveram aumento, conforme os dados colhidos pela Fundação Getulio Vargas

Correio Braziliense
postado em 02/10/2020 15:28
Brasília seguiu o caminho inverso das outras capitais que compõem o IPC-S. Mesmo assim, apresentou elevação de preços em alguns setores -
Brasília seguiu o caminho inverso das outras capitais que compõem o IPC-S. Mesmo assim, apresentou elevação de preços em alguns setores -

Enquanto em cinco capitais o Índice de Preços ao Consumidor - Semanal aumentou, Brasília foi a única capital em que houve desaceleração, com indicador indo de 0,92% para 0,89%, conforme a Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgou nesta sexta-feira (02). Com esse resultado, o IPC-S acumula alta de 2,11% no ano, mas de 3,51% nos últimos 12 meses no DF.

Mas, em relação à semana anterior (dados divulgados em 22/09), houve alta em itens como alimentação (1,04% para 1,29%), habitação (0,28% para 0,35%) e vestuário (-0,11% para 0,28%).

Nesta edição, três das oito classes de despesas componentes do IPC-S apresentaram desaceleração no DF, dentre as quais se destacam os grupos Transportes e Despesas Diversas – cujas taxas passaram, respectivamente, de 1,81% para 1,03%, e de 0,73% para 0,20%.

No mês, o índice cheio com todas as capitais pesquisadas teve variação positiva de 0,82%, acelerando na comparação com a terceira quadrissemana de setembro, quando houve alta de 0,70%, e também em relação a agosto, quando o índice subiu 0,53%.

Houve acréscimo nos dados de Salvador (0,20% para 0,45%), Belo Horizonte (0,62% para 0,97%), Recife (0,75% para 0,81%), Rio de Janeiro (0,66% para 0,81%) e São Paulo (0,84% para 0,97%). Em Porto Alegre, o indicador subiu 0,67%, mesma variação registrada na semana anterior.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação