BANCOS

Fintechs lideram cadastros do Pix

Segundo o BC, 33,7 milhões de chaves Pix já foram registradas e mais da metade disso está em três fintechs. Só o Nubank tem 8 milhões de chaves

Marina Barbosa
postado em 14/10/2020 22:32
 (crédito: Nubank/Divulgação)
(crédito: Nubank/Divulgação)

Apesar das campanhas lançadas pelos grandes bancos brasileiros, são as fintechs que têm conquistado o maior número de chaves do Pix. Segundo o Banco Central (BC), 33,7 milhões de chaves já foram registradas no sistema de pagamentos instantâneos brasileiro e mais da metade disso está concentrado em apenas três fintechs.

Dados divulgados nesta quarta-feira (14/10) pelo BC revelam que quem lidera o ranking de cadastros no Pix até agora é o Nubank. O banco digital já recebeu 8 milhões de chaves. É quase um quarto de todos os cadastros já realizados no sistema de pagamentos instantâneos brasileiro, que começa a operar em 16 de novembro, mas está recebendo cadastros há dez dias.

Além do Nubank, o Mercado Pago e o PagSeguro completam o "pódio" dos cadastros Pix, com 4,7 milhões e 4,3 milhões de chaves, respectivamente. Só essas três fintechs têm, portanto, mais da metade de todas as chaves Pix registradas até esta quarta-feira. E o BC ainda constatou um volume significativo de cadastros (1,1 milhão) no PicPay.

Bancos

Já os cinco grandes bancos brasileiros, que têm feito diversas campanhas para promover o sistema de pagamentos instantâneos e prometem sortear prêmios de até R$ 1 milhão para atrair as chaves Pix, receberam 11,7 milhões de cadastros até agora. É cerca de um terço de todos os registros efetuados até o momento.

Entre os grandes bancos, quem lidera os cadastros é o Bradesco, com 3,7 milhões de chaves Pix. Depois, vem a Caixa Econômica Federal, com quase 2,5 milhões de chaves, e o Banco do Brasil, com 2,1 milhões de chaves. O Itaú tem 1,7 milhão e o Santander, 1,6 milhão de chaves Pix.

O balanço do BC, que revela as 20 instituições financeiras que mais receberam registros do Pix, entre as 707 instituições que já estão aptas a operar no sistema de pagamentos instantâneos, foi divulgado na noite desta quarta-feira. Por isso, ainda não foi comentado pelos bancos.

Nubank

O Nubank, contudo, já havia demonstrado otimismo em relação ao Pix. Ao Correio, a fintech lembrou que já oferecia transferências gratuitas. Por isso, disse que "o Pix é a 'Nubankarização' do mercado financeiro".

"O Nubank sempre ofereceu transferências gratuitas e ilimitadas, mesmo para outros bancos, além da opção de realizar depósitos por meio de boletos para evitar as altas tarifas de transferências das outras instituições. Para o nosso cliente, o que muda com o Pix é que em vez de realizar uma TED gratuita dentro da janela de horário permitida, ele poderá fazer tudo instantaneamente, a qualquer momento. A experiência que já oferecemos ficará ainda mais completa e continuará gratuita", alegou a fintech, que tem cerca de 30 milhões de clientes.

Chave Pix

A chave Pix é o meio pelo qual cada conta será identificada no sistema de pagamentos instantâneos brasileiro. A chave pode ser o CPF ou CPNJ, o telefone ou o e-mail do titular da conta ou um QR Code que pode ser lido pelo celular. E vai desobrigar os brasileiros a apresentar todos os dados bancários do seu recebedor na hora de fazer uma transferência bancária. É que, com o Pix, será preciso apresentar só uma dessas chaves para dar início à transferência.

Os interessados em usar o Pix, que será gratuito para pessoas físicas, devem cadastrar sua chave nos canais digitais dos bancos. É possível cadastrar até cinco chaves para cada conta. Porém, contas diferentes não podem ter a mesma chave.

Além disso, é preciso ter atenção e não clicar em links de cadastro recebidos por e-mail, redes sociais ou SMS, pois fraudadores estão tentando se aproveitar desse momento para tentar roubar os dados dos brasileiros. A recomendação é, portanto, entrar no aplicativo do seu banco para fazer o cadastro da chave Pix.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação