Educação financeira

Governo lança nova cartilha de informações financeiras para refugiados

Essa terceira edição, segundo diretor do Banco Central, inclui atualizações e novos normativos, como as informações sobre o PIX, o recém-lançado sistema de pagamentos instantâneo

Marina Barbosa
postado em 26/11/2020 12:08 / atualizado em 26/11/2020 14:39
 (crédito: Marcello Casal Jr./ Agência Brasil)
(crédito: Marcello Casal Jr./ Agência Brasil)

Para tentar garantir a inclusão financeira dos quase um milhão de migrantes que vivem no Brasil, o governo federal lançou uma nova Cartilha de Informações Financeiras para Refugiados e Migrantes. O documento traz informações sobre a moeda, a abertura de contas e os meios de pagamento do país.

A cartilha foi lançada nesta quinta-feira (26/11) pelo Banco Central (BC) e pelo Ministério da Justiça em parceria com a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).

O diretor de Relacionamento, Cidadania e Supervisão de Conduta do BC, Maurício Moura, lembrou que esta é a terceira cartilha deste tipo. Ele explicou que foi importante atualizar o documento, lançado inicialmente em novembro de 2019 e depois atualizado em abril deste ano, para incluir as novidades do sistema financeiro nacional.

O novo documento traz, por exemplo, orientações sobre o Pix, o sistema de pagamento instantâneo que entrou em operação neste mês, e a cédula de R$ 200, lançada durante a pandemia. A cartilha ainda orienta os refugiados sobre como abrir uma conta bancária no país, como pedir crédito e evitar fraudes bancárias.

"Muitos imigrantes se encontram em situação de vulnerabilidade financeira e encontram dificuldade na abertura de contas e na compreensão da nossa moeda. Trazem força de trabalho ao nosso país, mas encontram desafios de inclusão financeira", comentou Moura. Ele disse que não se pode pensar na garantia dos direitos humanos, que são garantidos aos migrantes pela Constituição, sem pensar na inserção econômica.

Inclusão

Dados apresentados durante o lançamento da 3ª Edição da Cartilha de Informações Financeiras para Refugiados e Migrantes, que foi transmitido no YouTube da OIM nesta quinta-feira, reforçaram que a inclusão financeira é parte do processo de integração e desenvolvimento econômico dos refugiados, já que normalmente os refugiados precisam abrir uma conta bancária para poder conseguir um emprego formal. A medida ainda pode aumentar os negócios no país, pois 70% dos migrantes têm interesse em empreender no Brasil.

As versões em português, espanhol e inglês da nova edição da cartilha já estão disponíveis na página Cidadania Financeira do BC. Em breve o documento também será disponibilizado em francês e árabe.

O lançamento da cartilha acontece dentro da programação da 7ª Semana Nacional de Educação Financeira, promovida pelo BC. Após a abertura e a apresentação da nova versão do documento, aconteceu o painel Inclusão Financeira de Refugiados e Migrantes: oportunidades para o público vulnerável. A transmissão do evento está disponível no canal da OIM no YouTube.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE