FIQUE DE OLHO

Auxílio emergencial: troca de número ou celular pode bloquear Caixa Tem

Cadastro ao programa é vinculado ao número de telefone; medida de segurança visa combate às fraudes

Correio Braziliense
postado em 07/04/2021 17:42 / atualizado em 07/04/2021 17:48
 (crédito: Marcello Casal JrAgência Brasil)
(crédito: Marcello Casal JrAgência Brasil)

Divulgado o calendário de pagamentos do novo auxílio emergencial, muitos brasileiros que receberam o auxílio em 2020 têm se deparado com a conta bloqueada no aplicativo Caixa Tem. A confusão pode acontecer depois da troca do aparelho celular ou do número de telefone. Isso porque, a instituição vincula o cadastro ao número do celular. Diante disso, a Caixa permite apenas um cadastro por código ou o login na mesma conta em até dois dispositivos móveis diferentes.

"Talvez esse seja o maior ponto em relação aos bloqueios: nós não permitimos um número grande de números de celular por CPF porque, no ano passado, identificamos isso como a principal fragilidade quanto a potenciais fraudes", explicou o presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães.

Os beneficiários que usam vários chips de linhas pré-pagas e, por sua vez, possuem os CPFs vinculados em diversos números de telefone, serão os principais atingidos pela medida de segurança.

O que fazer nessa situação?

Se a conta do Caixa Tem for bloqueada por troca de aparelho ou número de celular, é necessário entrar em contato, via ligação, com o banco para resolver o problema. Os atendimentos ocorrem por meio do telefone ‘111’.

Caso o problema persista, há, também, a opção de se dirigir à uma agência bancária. Neste caso, o cidadão deve estar com o CPF e um documento oficial com foto em mãos.

Outros motivos

O bloqueio do novo auxílio emergencial pode acontecer, ainda, por outros motivos. O principal deles diz respeito à análise feita pelo Dataprev dos cadastros antigos no programa. Caso a empresa verifique que o beneficiário não tenha mais direito ao auxílio, ele é retirado do programa automaticamente. Saiba se você ainda em direito ao benefício

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE