BOLSA FAMÍLIA

Bolsonaro diz que governo deve propor Bolsa Família de R$ 250

Mandatário afirmou ainda que "apesar dos problemas, a economia está indo bem" no Brasil e criticou o lockdown adotado por governadores e prefeitos em meio à pandemia. Segundo o presidente, a medida é um "estupro ao artigo 5º da Constituição"

Ingrid Soares
postado em 28/04/2021 12:42
 (crédito: Marcos Correa/PR)
(crédito: Marcos Correa/PR)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (28/4) que o governo deverá propor um aumento no valor da mensalidade do programa Bolsa Família entre agosto e setembro. Com isso, a quantia pode chegar a R$ 250. A declaração foi feita a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

"Só de auxílio emergencial no ano passado gastamos mais que 10 anos de Bolsa Família. Então, o PT, que fala tanto em Bolsa Família, hoje, a média é de R$ 192. O auxílio emergencial, eu sei que está pouco, mas é muito mais do que a média do Bolsa Família. A gente pretende passar para R$ 250 em agosto ou setembro", informou.

O mandatário disse ainda que "apesar dos problemas, a economia está indo bem" no Brasil. Ele também voltou a defender o que chama de tratamento precoce com cloroquina. No entanto, tal medicação não possui comprovação científica.

"Apesar dos problemas aí, a economia está indo bem. A gente lamenta as pessoas que faleceram, qualquer pessoa. Não interessa a causa da morte. A gente sempre lamenta, né. Minha mãe está com 94 anos, vou chorar com toda a certeza quando ela falecer. É a vida e nós temos que encarar o que está aí. Buscar alternativa, garantir a liberdade para o médico tratar o paciente. No caso não tem um remédio específico para curar aquilo, não atrapalhar esses médicos", defendeu.

Lockdown

O chefe do Executivo também criticou o lockdown adotado por governadores e prefeitos em meio à pandemia que já vitimou mais de 395 mil brasileiros e caracterizou a medida como um "estupro ao artigo 5º da Constituição".

"Alguns acham que quem tirou o empregos deles fui eu. Eu não fechei comércio, não determinei que ninguém ficasse em casa, não destruí emprego. Eu tinha a minha linha, mas o STF (Supremo Tribunal Federal) falou que cada governador e prefeito podia fazer o que bem entendesse. Estão fazendo. Até abusando aqui daquilo que... Falam tanto em Constituição, né? Os que defendem a Constituição falam tanto, e está lá, estuprado o artigo 5º. Um simples decreto tem mais poder do que o estado de sítio. E no estado de sítio, se fizer alguma coisa errada eu sou responsabilizado. E os prefeitos, agora, vão ser responsabilizados por essa CPI que está aí?", indagou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE