Dinheiro

Liberada consulta para o último lote do IR; saiba se caiu na malha fina

O quinto e último lote da restituição será pago em 30 de setembro para as chamadas análises residuais, para os que regularizaram pendências dos anos anteriores

Correio Braziliense
postado em 23/09/2021 10:17 / atualizado em 23/09/2021 10:24
Pagamento será feito na conta indicada na declaração, mas, em caso de inconsistência, contribuinte pode retirá-lo no Banco do Brasil -  (crédito: Juntos, os bilionários brasileiros detém 25% do PIB de 2020 (foto: Pixabay/ Reprodução))
Pagamento será feito na conta indicada na declaração, mas, em caso de inconsistência, contribuinte pode retirá-lo no Banco do Brasil - (crédito: Juntos, os bilionários brasileiros detém 25% do PIB de 2020 (foto: Pixabay/ Reprodução))

A Receita Federal liberou nesta quinta-feira (23/9) às 10h a consulta aos nomes dos contribuintes contemplados pelo 5º lote da restituição do Imposto de Renda. Os pagamentos serão feitos em 30 de setembro e contemplam quem enviou a declaração de 2020 e ainda não recebeu o dinheiro. Também estão incluídas no último lote, as chamadas restituições residuais, de contribuintes que prestaram esclarecimentos com o Leão sobre problemas nos exercícios anteriores.

Para consultar se teve a declaração liberada ou se acabou na malha fina, o contribuinte tem algumas opções de atendimento on-line oferecidos pela Receita Federal. O primeiro caminho é o serviço e-CAC, disponível na página da Receita. Por lá, é possível consultar o extrato do IR e possíveis pendências e não é preciso certificado digital.

O Leão disponibiliza também um aplicativo para quem queira acessar por smartphones e tablets. Ele pode ser baixado diretamente das lojas dos sistemas Android e IOS. Esta modalidade dá acesso direto à base de dados da Receita e permite que sejam verificadas eventuais restrições, além da situação cadastral do CPF. Por último, também é possível verificar se há problemas com a conta bancária informada para o depósito do dinheiro, que fica disponível para resgate por até um ano no Banco do Brasil.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE