Pix

Banco Central e Banese comunicam vazamento de 395 mil chaves Pix

Apesar disso, BC informa que não foram vazados dados sensíveis, como senhas, movimentações ou saldos financeiros em contas. Autarquia informa que os clientes cujos dados foram obtidos serão notificados exclusivamente por meio do aplicativo de sua instituição de relacionamento.

João Vitor Tavarez*
postado em 01/10/2021 18:51 / atualizado em 01/10/2021 18:53
 (crédito: Marcello Casal JrAgência Brasil)
(crédito: Marcello Casal JrAgência Brasil)

O Banco Central comunicou o vazamento dos dados de milhares de chaves Pix sob a responsabilidade do Banco do Estado de Sergipe S.A (Banese). A autarquia justificou, em nota, na quinta-feira (30/9), que o problema ocorreu “em razão de falhas pontuais” em sistemas da instituição financeira.

Segundo o Banese, o departamento técnico do banco identificou consultas indevidas a informações relacionadas a 395.009 chaves Pix, sendo elas, exclusivamente por meio telefônico, de não clientes da companhia; e a partir de duas contas bancárias de usuários do Banese.

No entanto, conforme o BC, não foram vazados dados sensíveis — senhas, movimentações ou saldos financeiros em contas transacionais — ou outras informações bancárias sigilosas.

“As informações obtidas são de natureza cadastral, que não permitem movimentação de recursos, nem acesso às contas ou a outras informações financeiras”, disse em nota.

De acordo com o Banese, contudo, o Diretório de Identificadores de Contas Transacionais (DICT), administrado pelo BC e de acesso restrito às instituições que iniciam procedimento para realização de uma transação por Pix, contém informações de natureza cadastral (CPF, nome, dados bancários e outras informações técnicas).

Notificações

O Banco Central informou ainda que as pessoas que tiveram seus dados cadastrais obtidos a partir do incidente serão notificadas exclusivamente por meio do aplicativo de sua instituição de relacionamento. “Nem o BC nem as instituições participantes usarão quaisquer outros meios de comunicação aos usuários afetados, tais como aplicativos de mensagem, chamadas telefônicas, SMS ou email”.

A autarquia concluiu a nota dizendo que “adotou as ações necessárias para a apuração detalhada do caso e aplicará as medidas sancionadoras previstas na regulação vigente”. 

*Estagiário sob a supervisão de Andreia Castro

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE