COMBUSTÍVEIS

Receita confirma que brasileiros compram gasolina e gás ilegalmente na Argentina

Com preços mais atrativos, produtos são transportados em recipientes inadequados, colocando cidadãos em perigo. Alguns transportam grandes quantidades para revenda, informa órgão de fiscalização

Fernanda Fernandes
postado em 02/11/2021 00:13 / atualizado em 02/11/2021 00:13
 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

A Receita Federal afirmou, em vídeo exibido nesta segunda-feira (01/11) pelo "Meio-Dia Paraná", da RPC, que brasileiros têm comprado botijão de gás e gasolina ilegais da Argentina. A carga de gás na Argentina, segundo o Órgão, custa em torno de R$25, enquanto 1 litro de gasolina sai a R$3 - preços bem mais atrativos que os cerca de R$ 100 pagos atualmente no botijão de gás em território nacional e os mais de R$7 cobrados no litro da gasolina.

Segundo a Receita, os itens, além de entrarem no país sem permissão, são transportados em recipientes inapropriados, o que coloca a vida dos cidadãos em risco, uma vez que se tratam de produtos altamente inflamáveis.

No vídeo, o delegado da Receita em Dionísio Cerqueira (SC), Mark Tollemache, afirma que os valores bem inferiores ao cobrados no Brasil "fazem com que os criminosos tragam grandes quantidades para revenda".

"A Receita Federal, em conjunto com outros órgãos de segurança, está intensificando sua atuação nesse ponto de fronteira, de forma a evitar que esses produtos ingressem em território nacional e, assim, proteger a economia nacional, principalmente o setor de combustíveis", reforçou Tollemache.

De acordo com o último levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço da gasolina subiu pela 4ª semana seguida, com alta de 3,1% entre os dias 24 e 30 de outubro, o que levou o valor médio a R$ 6,56 o litro. Em alguns locais do Rio Grande do Sul, o valor chegou a R$ 7,88/Litro. No Distrito Federal, o combustível foi encontrado até pode R$7,19, e no arquipélago de Fernando de Noronha chegou a R$ 9,66

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE