Combustíveis

Após reajuste, litro da gasolina se aproxima de R$10 em Fernando de Noronha

Arquipélago registra um dos valores mais altos do combustível no país: R$ 9,66

Pedro Grigori
postado em 01/11/2021 23:56 / atualizado em 01/11/2021 23:57
 (crédito: Wikipédia Commons)
(crédito: Wikipédia Commons)

O único posto de gasolina instalado no arquipélago de Fernando de Noronha, em Pernambuco, está vendendo o litro do combustível por R$ 9,66. O novo valor passou a ser cobrado desde domingo (31/10), após o último reajuste anunciado pela Petrobras

A gasolina de Fernando de Noronha é uma das mais caras do Brasil. O arquipélago, formado por vinte e uma ilhas, numa extensão de 26 km², fica situado no Oceano Atlântico, e todo combustível vendido por lá tem que ser trazido do continente.

De acordo com o Portal G1, que entrevistou o dono do único posto de gasolina de Fernando de Noronha, o contrato de cessão do posto indica que os combustíveis podem ser comercializados no arquipélago por um valor 70% superior aos preços cobrados em Pernambuco.

Já no continente, o estado brasileiro com a gasolina mais cara é o Rio Grande do Sul, que segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), está cobrando, em média, R$ 7,889 por litro.

Petrobras nega novo reajuste 

Nesta segunda-feira (1/11), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, durante uma entrevista coletiva na Itália, que a Petrobras faria um novo reajuste no preço dos combustíveis em 20 dias. No final da tarde, a estatal divulgou uma nota desmentindo a declaração do presidente.

"A Petrobras não antecipa decisões de reajuste e reforça que não há nenhuma decisão tomada por seu Grupo Executivo de Mercado e Preços (GEMP) que ainda não tenha sido anunciada ao mercado", declarou a empresa. A estatal ainda afirmou que "as atualizações de preços de produtos são realizadas no curso normal de seus negócios e seguem as suas políticas comerciais vigentes."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE