COMBUSTÍVEIS

Petroleiros alertam para diesel a R$ 10 reais por litro no 2º semestre

Impactos serão ainda mais severos sobre a inflação e às vésperas da colheita da safra agrícola, quando aumenta a demanda pelo derivado

Michelle Portela
postado em 03/06/2022 12:53 / atualizado em 03/06/2022 12:53
 (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A.Press)
(crédito: Minervino Júnior/CB/D.A.Press)

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) alerta para o risco do óleo diesel chegar a R$ 10 por litro no segundo semestre do ano. Acima dos atuais R$ 7, em média, os impactos de novo aumento de preços comerciais terá consequências mais severas sobre a inflação e às vésperas da colheita da safra agrícola, quando aumenta a demanda pelo derivado.

“A crise está contratada”, afirma o coordenador-geral da FUP, Deyvid Bacelar, em nota emitida nesta sexta-feira (3/6). "Análises feitas pela área econômica da FUP indicam que estão dadas as condições para nova escalada de preços dos combustíveis: com estoques globais em níveis historicamente baixos, resultando na valorização das cotações de referência e dos prêmios de exportação. A gasolina e o diesel estão cerca de US$ 60 por barril acima do preço do petróleo", diz a nota.

Barril de petróleo

Projeções mostram o barril de petróleo chegando a US$ 120 nos próximos dias, com a possibilidade de atingir o pico de US$ 130/US$ 140 no final de junho ou início de julho e de o crack spread —  diferença entre o preço do barril de petróleo e o preço do barril do derivado — se valorizar ainda mais.

Soma-se a isso o custo do frete, em torno de US$ 9,20 por barril de diesel importado do Golfo Arábico ou da Índia (únicos pontos disponíveis atualmente), para o Brasil, o que elevará o preço do derivado para US$ 196, até US$ 200. Se houver escassez de diesel no mundo, como já se anuncia, o crack spread poderá ser ainda maior.

Bacelar lembra ainda que são necessários entre 45 dias e 60 dias para o produto chegar ao Brasil, enquanto os estoques da Petrobras equivalem a 14 dias de produção.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE