ESG

Caixa lança linha de crédito para ações de sustentabilidade

Banco anunciou, nesta terça-feira (21/6), novos investimentos em iniciativas sustentáveis voltadas à responsabilidade social, ambiental e climática, como a linha de crédito ESG Ecoeficiência.

Michelle Portela
postado em 21/06/2022 22:20 / atualizado em 21/06/2022 22:21
 (crédito:  Marcello Casal Jr/ Agência Brasil )
(crédito: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil )

A Caixa anunciou, nesta terça-feira (21/6), novos investimentos em iniciativas sustentáveis voltadas à responsabilidade social, ambiental e climática, como a linha de crédito ESG Ecoeficiência, durante encontro realizado em Brasília. Além disso, o banco assinou protocolo de intenções para expansão de projeto de reflorestamento e preservação florestal com inclusão econômica e social.

Durante o “Caixa Mais Sustentável”, o presidente do banco, Pedro Guimarães, apresentou ações e iniciativas sobre o papel do setor público como indutor da sustentabilidade e a importância das instituições financeiras na transição para uma economia de baixo carbono.

Entre as iniciativas está uma nova linha de crédito, a ESG Ecoeficiência, que é exclusiva para empresas, e vai financiar 100% dos investimentos de projetos que reduzam o impacto ambiental, com até 72 meses de prazo e 24 meses de carência. Para contratar, basta comparecer a uma das agências do banco em todo o país.

Uma segunda iniciativa é o Selo Município + Azul Caixa, destinado aos municípios que reconhecem o nível de maturidade institucional nos eixos ambiental, social, governança e climático. O Selo é dividido em quatro categorias: Diamante (100 pontos), Safira (80 pontos), Topázio (70 pontos) e Cristal (60 pontos). Os municípios detentores do selo terão tratamento diferenciado junto ao banco.

Projeto Arboretum

Também participaram do evento, os ministros do Meio Ambiente (MMA), Joaquim Leite; do Desenvolvimento Regional (MDR), Daniel Ferreira; da Agricultura (MAPA), Marcos Montes; além do ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União (TCU).

Durante o evento, o ministro de Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, destacou resultados do Marco Legal do Saneamento, que completa dois anos em julho deste ano. Desde então, foram realizados dez leilões de concessão de serviços de saneamento básico, que vão gerar mais de R$ 76,3 bilhões no setor em 220 municípios em oito estados, como Minas Gerais e Goiás.

Além disso, foi assinado o protocolo de intenções entre Caixa e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, por meio do Serviço Florestal Brasileiro (SFB), para implementar programas e expandir o Projeto Arboretum para os demais biomas brasileiros. Atualmente, o projeto promove a recuperação da Mata Atlântica no município de Teixeira de Freitas, na Bahia. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE