Tentativa de homicídio

Quem é William Ribeiro, jogador preso após chutar a cabeça de árbitro no RS

Meia tem histórico de agressão a um torcedor e um adversário em passagens por outros clubes do estado. Juiz precisou ser levado ao hospital, mas passa bem

Jéssica Gotlib
postado em 05/10/2021 15:37
São Paulo-RS anunciou que contrato com o jogador será encerrado por causa dos episódios de violência -  (crédito: Sport Club São Paulo/Twitter/Reprodução)
São Paulo-RS anunciou que contrato com o jogador será encerrado por causa dos episódios de violência - (crédito: Sport Club São Paulo/Twitter/Reprodução)

A cena de um jogador de futebol chutando a cabeça de um árbitro enquanto ele estava caído no chão impressionou pessoas Brasil a fora, nesta terça-feira (5/10). A agressão ocorreu durante uma partida entre o São Paulo do Rio Grande do Sul e Guarani de Venâncio Aires, pela segunda divisão do campeonato gaúcho.

Penalizado com um cartão amarelo aos 14 minutos do segundo tempo, o meia William Ribeiro, 30 anos, havia derrubado árbitro Rodrigo Crivellaro com um soco antes de golpeá-lo, já no solo. Crivellaro chegou a ficar inconsciente e precisou ser levado de ambulância até o hospital.

Apesar de apresentar confusão mental no início do atendimento, o juiz passa bem e já foi liberado. Médicos examinaram a coluna cervical e o crânio, para avaliar risco de lesões mais profundas, mas nada foi encontrado.

Partida suspensa

O jogo, que ocorria na noite de segunda-feira (4/10), foi suspenso e será retomado nesta tarde, às 15h30, do ponto em que parou, com o Guarani vencendo por 1 a 0. O atleta, pivô da confusão, foi preso em flagrante ainda no campo e indiciado por tentativa de homicídio.

Em entrevista à Rádio Gaúcha na saída do estádio, o zagueiro Emílio Santos, companheiro de clube de William, lamentou a cena em nome de todo o elenco. “Ninguém entendeu, foi uma situação do momento. A gente tem que esperar para ver o que vai ser feito sobre o jogo. Vamos torcer para que o árbitro fique bem. Nosso grupo não é disso”, defendeu.

Reincidente

Mesmo com o estranhamento demonstrado pelo colega de elenco, essa não é a primeira vez que o meia tem problemas com a polícia por brigar em campo. William agrediu um torcedor e um adversário em duas ocasiões diferentes. O primeiro caso foi ainda neste ano, quando já atuava no São Paulo-RS. Ele sequer estava relacionado para a partida, mas assistia ao jogo da arquibancada e acabou brigando com um torcedor.

Em 2014, ele jogava no Guarani de Venâncio Aires quando foi expulso por socar um adversário em campo. Revelado nas categorias de base do Internacional, o atleta atuou por 18 equipes do Rio Grande do Sul até este ano. Em nota, publicada nas redes sociais, o São Paulo-RS classificou o evento como “lamentável e, acima de tudo, revoltante”. O meia será desligado do clube. Leia a nota completa:

Lamentável. Lamentável e acima de tudo, revoltante.

No exato dia em que toda a família rubro-verde reuniu-se para comemorar mais um aniversário - 113 anos de Sport Club São Paulo -, nosso Clube se deparou com um dos episódios mais tristes de sua história, uma fatídica cena que chocou todas as pessoas que amam não só o futebol gaúcho, mas todas aquelas que simplesmente amam o esporte de modo geral.

Podem ter certeza, lamentamos e nos envergonhamos profundamente de todo o ocorrido, todo nós em absoluto, toda a nossa nação rubro-verde: Direção, torcida, demais jogadores, etc. Pedimos todas as desculpas do mundo ao profissional agredido e sua família, assim como pedimos desculpas ao público, de modo geral, pela cena lamentável vista hoje.

O contrato com o atleta agressor está sumariamente rescindido. Ademais, todas as medidas possíveis e legais em relação ao fato serão tomadas.

Deivid Goulart Pereira

Presidente do Sport Club São Paulo

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE