Felipão

Felipão não dá prazo para Atlético melhorar e garante: ‘Não cobro mais’

Alisson agradeceu o apoio do elenco e do técnico Luiz Felipe Scolari

Alisson agradeceu o apoio do elenco e do técnico Luiz Felipe Scolari  -  (crédito: Foto: Pedro Souza / Atlético)
Alisson agradeceu o apoio do elenco e do técnico Luiz Felipe Scolari - (crédito: Foto: Pedro Souza / Atlético)

O Atlético decepcionou seu torcedor mais uma vez ao empatar com a Tombense, por 1 a 1, na noite dessa quarta-feira (14), na Arena MRV, pelo Campeonato Mineiro. No entanto, com campanha questionável, o técnico Luiz Felipe Scolari não deu prazo determinado para o time apresentar evolução.

Em toda a partida, foi observado que o Galo tem dificuldades para criar e propor jogo, sobretudo considerando equipes que jogam fechadas. Felipão, aliás, ressaltou que não vai fazer cobranças aos atletas.

“Eu sou experiente, mas sou humano, eu trabalho, passo o que tenho de conhecimento e os atletas fazem o possível para dar o melhor. Se não estamos conseguindo, estamos devendo à torcida. Se a torcida acha que é simples manter o plantel, simples manter o grupo é essencial para ser campeão de todos os campeonatos. Fazer o quê? Nós estamos contentes com os jogadores que temos, entendemos perfeitamente a posição do nosso setor principal, entendemos que temos uma boa equipe, entendemos que estamos com dificuldades um pouco mais daquilo que a gente esperava, mas não vou cobrar nada a mais do que já tenho cobrado, porque aos poucos algumas coisas vão acontecendo. A gente tem que analisar o que é o bom e o que é o ruim. Se a torcida entende o que é só ruim, não vamos fazer nada”, salientou.

Atlético e as jogadas aéreas

O Galo sofreu mais um gol de jogadas aéreas, algo que vem preocupando os torcedores atleticanos nas arquibancadas. No entanto, Felipão ressaltou que tenta corrigir os erros.

“A gente tenta corrigir nos treinamentos. Às vezes, vamos demorar um entrosamento maior uma semana a mais. Quando a bola sai da área se vamos fazer a marcação, se não quer pressão do adversário, se esperamos essa bola ser cruzada novamente. No ano passado, isso não acontecia. Mas devemos saber que isso as vezes demora um pouco mais de tempo. As vezes, na cara do gol, não faz. São ciclos. Nós tentamos explicar, as vezes explicamos razoavelmente bem, as vezes não. Não sei o que acontece”, finalizou.

Siga o Jogada10 nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook.

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Jogada10
postado em 15/02/2024 16:06