Galeno

Galeno explica recusa a Portugal e escolha pela Seleção Brasileira: ‘Sonho de criança’

Galeno é um dos estreantes da Seleção Brasileira do técnico Dorival Júnior

Galeno é um dos estreantes da Seleção Brasileira do técnico Dorival Júnior -  (crédito: - Foto: Felipe Davi Rocha/Jogada10)
Galeno é um dos estreantes da Seleção Brasileira do técnico Dorival Júnior - (crédito: - Foto: Felipe Davi Rocha/Jogada10)

Galeno, destaque do Porto na atual temporada, é uma das novidades da primeira lista de Dorival Júnior na Seleção Brasileira. O jogador optou por atuar por seu país de origem e disse não ao interesse da Federação portuguesa por seu futebol. O técnico do Brasil precisou cortar Gabriel Martinelli, do Arsenal, por lesão, e deu a chance do maranhense estrear com a amarelinha diante de Inglaterra e Espanha em amistosos internacionais.

“Não vou mudar minha opinião (representar o Brasil e dizer não à Portugal). É um  sonho desde criança representar meu país, Brasil. Conversei com o professor (Dorival Júnior), que antes dele me ligar, eu já tinha o desejo de representar o Brasil e não vou mudar. Vou dar meu máximo para representar essa camisa. Serei, aliás, mais um para ajudar a conquistar muitas coisas na Seleção”, explicou.

O atleta, de 26 anos, tem nacionalidade portuguesa desde 2022 e esteve em pré-listas do técnico Roberto Martínez, de Portugal, em 2023. Assim, a direção da CBF havia entrado em contato com Galeno quando Dorival preparava uma pré-lista com 35 nomes e perguntou se ele aceitaria uma convocação. O atacante, portanto, comunicou à Federação Portuguesa a escolha pelo Brasil.

Parceria com Wendell

Na atual temporada, o atacante do Porto já balançou as redes 13 vezes, em 36 jogos. Além disso, a novidade do técnico Dorival Júnior em seu início de trabalho à frente da seleção brasileira é líder em participações em gols na atual Champions League. Na Seleção, aliás, Galeno terá a oportunidade de atuar ao lado do lateral Wendell, companheiro no clube português.

“Eu e Wendel (ambos do Porto) nos conhecemos há muito tempo. Iremos transferir para a Seleção, o que a gente já faz no Porto. Pode ter certeza, que iremos dar o nosso máximo em campo e aprender com quem já está a mais tempo. Iremos passar o que sabemos também para eles. Iremos dar grandes vitórias aos brasileiros. Minha ficha ainda não caiu, que estou aqui na Seleção. Tive a reação de chorar com a minha família”, frisou.

Sonho de criança e características

Nascido em Barra do Corda, no sertão do Maranhão, a mais de 400 km de São Luís, Galeno jogou a maior parte da infância em campos de terra, quando chamou a atenção de pessoas ligadas ao Trindade, de Goiás. Dessa forma, o atacante revelou que é um sonho de infância representar seu país depois de tudo que passou, como a morte do pai e o desejo de ser jogador. Sendo assim, falou um pouco sobre suas características em campo.

“Muita gente não assiste ao Campeonato Português, sabemos que não é tão visto no mundo. Contudo, lá tem grandes jogadores, é uma competição muito boa. Onde todos os times disputam até o fim. Eu vou dar meu máximo na Seleção, vou disputar a minha vaga. Sou forte no 1 x 1, gosto de defender, ajudar meus companheiros e dentro de campo vou suar essa camisa, treinar bem trabalhar bem para surgir a oportunidade de jogar”, disse.

“Minha maior decisão foi quando sai com onze anos de perto da minha mãe. Perdi meu pai com oito anos e não foi fácil deixar minha família aqui. Hoje, representar o Brasil é um sonho realizado, de infância, não só meu, como de toda minha família. Meu pai deve estar orgulho e tenho certeza que lhe darei muito orgulho”, concluiu

Siga o Jogada10 nas redes sociais: Twitter, Instagram e Facebook.

 

Gostou da matéria? Escolha como acompanhar as principais notícias do Correio:
Ícone do whatsapp
Ícone do telegram

Dê a sua opinião! O Correio tem um espaço na edição impressa para publicar a opinião dos leitores pelo e-mail sredat.df@dabr.com.br

Jogada10
postado em 20/03/2024 10:46