México

Noé? Homem abriga 300 animais em casa durante passagem de furacão

Entre os bichos, estavam cachorros, gatos, galinhas, coelhos, cavalos, ovelhas, cabras e até mesmo um ouriço; todos sobreviveram

Correio Braziliense
postado em 17/10/2020 16:56
 (crédito: Facebook/ reprodução)
(crédito: Facebook/ reprodução)

A passagem do furacão Delta pelo México, na última semana, deixou um rastro de destruição pelo país e homem fez o que pode para evitar que a vida de animais indefesos fossem perdidas. O mexicano Ricardo Pimentel Cordero abrigou em sua casa, em Cancún, 300 animais para mantê-los em segurança. E deu certo, todos os bichos sobreviveram.

Ricardo é responsável pelo abrigo Tierra de Animales, em Puerto Morelos, mas com o anúncio da passagem do furacão, ele resolveu levar os bichos para dentro de casa.

Entre os animais, estavam cachorros, gatos, galinhas, coelhos, cavalos, ovelhas, cabras e até mesmo um ouriço.

Para conseguir mantê-los bem alimentos, Ricardo pediu doações pela internet. “Se eu morasse sozinho, ou apenas com cerca de 10 ou 20 cães, não me preocuparia muito, mas aqui existem centenas de animais e não podemos deixar de ter comida suficiente armazenada, por isso peço ajuda”, escreveu em um post no Facebook.

A casa de Ricardo sobreviveu a tempestade, mas o abrigo onde originalmente ficavam os animais sofreu bastante danos.

Não é a primeira vez que Ricardo age assim para salvar animais. Em outro post no Facebook, ele conta que em 2010, durante a passagem do furacão Paula, que destruiu casas e propriedades em Cancún, ele abrigou 77 cachorros, 10 gatos e algumas galinhas. "Como podem ver, não é a primeira vez que colocamos muitos animais em casa, na verdade é algo normal para nós", afirmou.

  • animais resgatados no méxico
    animais resgatados no méxico Foto: Facebook/ reprodução
  • animais resgatados no méxico
    animais resgatados no méxico Foto: Facebook/ reprodução
  • animais resgatados no méxico
    animais resgatados no méxico Foto: Facebook/ reprodução
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação