Terrorismo

Milhares de pessoas marcham em Paris em memória de professor decapitado

professor foi morto depois de mostrar caricatura de Maomé para alunos

Agência France-Presse
postado em 18/10/2020 11:22
 (crédito: Bertrand GUAY / AFP)
(crédito: Bertrand GUAY / AFP)

Milhares de pessoas marchavam, neste domingo (18), na Place de la Republique de Paris, em memória de Samuel Paty, o professor de história decapitado na região parisiense na sexta-feira.

Levando cartazes com frases como "Não ao totalitarismo do pensamento" e "Sou professor", a multidão homenageia esse professor assassinado, após mostrar charges do profeta Maomé em sala de aula.

"Sou Samuel!", "Liberdade de expressão, liberdade de ensino!", gritavam os presentes, em meio a longos aplausos.

Também compareceram ao ato o primeiro-ministro Jean Castex; a prefeita de Paris, Anne Hidalgo; a presidente da região de Paris, Valérie Pécresse; e o chefe do partido Insubmissos, Jean-Luc Mélenchon.

Ao redor da estátua da Place de la Republique, que continuava a encher de gente, alguns agitavam bandeiras francesas, e outros, cartazes que diziam "Está escuro no país das Luzes".

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação