ATENTADO

Bolsonaro diz que morte de brasileira na França é exemplo de cristofobia

Presidente lamentou atentado na Basílica Notre-Dame de Assunção, na cidade de Nice, que tirou a vida de Simone Barreto Silva, 44 anos, e outras duas pessoas; e disse que episódio foi um crime de ódio contra cristãos

Augusto Fernandes
postado em 29/10/2020 23:02
 (crédito: ERIC GAILLARD / POOL / AFP)
(crédito: ERIC GAILLARD / POOL / AFP)

O presidente Jair Bolsonaro lamentou a morte da brasileira Simone Barreto Silva, 44 anos, assassinada na manhã desta quinta-feira (29/10) após ser esfaqueada durante um atentado na Basílica Notre-Dame de Assunção em Nice, na França, e disse que o episódio foi mais um caso de "cristofobia".

"A gente lamenta. Estava lá rezando, entrou esse cara aqui, que detesta cristãos. Quando a gente fala em cristofobia, é isso. A gente lamenta a morte das três pessoas. Agora, isso aqui tem que ser combatido, e não é com florzinha não", comentou Bolsonaro, em live nas redes sociais à noite.

O termo cristofobia havia sido apresentado pelo mandatário durante o discurso dele na 75ª Assembleia Geral das Nações Unidas, em setembro deste ano, quando ele fez um apelo à comunidade internacional para que todos lutem contra o preconceito às religiões cristãs.

Na transmissão desta quinta, Bolsonaro repudiou a ação assassina que tirou a vida de Simone e outras duas pessoas.

"Quem não suporta a outra pessoa acreditar em Deus, pode até não acreditar, ninguém vai brigar contra quem é ateu aqui. Agora, chegar ao ponto de cometer essas atrocidades… Não é caso isolado não, em vários países do ano é uma constante. Cem mil pessoas são executadas por ano em função da sua fé, incluindo em países comunistas", ponderou.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação