Tragédia

Após festa de Papai Noel com covid-19, asilo soma 27 mortes, na Bélgica

Festa de natal organizada em 4 de dezembro provocou a contaminação de 88 pessoas, incluindo idosos e equipe de asilo; morte mais recente foi registrada no ano-novo

Jéssica Gotlib
postado em 01/01/2021 18:50
Apesar das especulações, virologista diz que ventilação ruim, e não um super-propagador, é a causa mais provável para o surto -  (crédito: Reprodução/Daily Mail UK)
Apesar das especulações, virologista diz que ventilação ruim, e não um super-propagador, é a causa mais provável para o surto - (crédito: Reprodução/Daily Mail UK)

O asilo Armonea Hemelrijck, no município de Mol, norte da Bélgica, tentou levar um pouco de leveza e magia para os moradores com uma festa de Natal no início de dezembro. Entretanto, a iniciativa acabou resultando na morte de 27 pessoas até este dia 1º de janeiro.

O ator voluntário que representou o Papai Noel, segundo o site britânico Daily Mail, não sabia que estava contaminado e não apresentava qualquer sintoma, além de ter usado máscara, mas seria ele um suspeito de ter começado o surto no lar de idosos. Ao todo, foram 88 pessoas infectadas, incluindo 42 profissionais da equipe do lar de idosos.

As autoridades municipais informaram que a morte mais recente ocorreu durante a madrugada de ano novo. Apesar disso, dados oficiais dão conta de que o surto pode ter se estabilizado. Outra linha de investigação dá conta de que a propagação tenha sido potencializada pelo sistema de ventilação do asilo.

Polêmica

Três dias depois da celebração de Natal no asilo, o ator apresentou sintomas e testou positivo para covid-19. O Papai Noel foi logo apontado como um “super-propagador” do vírus, paciente que infecta significativamente mais pessoas que o comum.

Dessa forma, ele foi publicamente responsabilizado pelo surto na casa de repouso pelo noticiário da cidade. A prefeitura afirmou que o comitê local de crise impediria a festa, caso tivesse tomado conhecimento dela antes da sua realização.

O presidente da Câmara de Mol, Wim Caeyers, disse em entrevista coletiva que a casa de repouso garantiu ter tomado todas as medidas de segurança. Ainda assim, fotos postadas nas redes sociais pelas famílias mostram que alguns dos idosos não usavam máscara e que nem o bom velhinho nem seus ajudantes resguardaram a distância mínima de segurança de dois metros dos moradores do asilo.

Ele caracterizou a organização do evento como um ato “totalmente irresponsável”. “Esperamos ainda mais dez dias difíceis; têm sido dias obscuros para o asilo”, lamentou Caeyers. O político ainda se solidarizou com os voluntários e a equipe. “É um grande estresse mental para um homem que se vestiu de Papai Noel suportar, assim como para os organizadores e para os empregados (do asilo)”, ressalvou.

Alguns dias depois, uma investigação científica informou que não é possível concluir que o ator seja realmente super-propagador.

Ventilação

Ouvido pelo Daily Mail, um dos mais renomados virologistas da Bélgica, Marc Van Ranst, pesquisador na Universidade Católica da Lovaina, declarou que é difícil que o ator tenha sido responsável pelo surto no asilo. “Mesmo para um super-propagador, são muitas infecções ao mesmo tempo”, explicou.

Ele acredita que a ventilação ruim é uma causa mais provável para o surto. De acordo com Ranst, funcionários da equipe de saúde local deveriam fazer medidas recorrentes do nível de CO2 no ar. Ainda assim, o pesquisador caracteriza a celebração como uma “ideia estúpida”.

A Armonea, empresa que administra a casa de repouso, se pronunciou por meio de um porta-voz. “A equipe está muito chocada com o que aconteceu, mas isso também os deixa muito motivados para erradicar o vírus novamente (dentro da instituição)”, colocou.

Situação ruim

Esse não é o único caso do tipo na Bélgica. O país já soma 19,4 mil mortes, grande parte delas em asilos. Além disso, é belga o recorde de mortos por milhão de habitantes: 1.667 óbitos para cada milhão de moradores foram contabilizados até as 17h30 do dia 30 de dezembro, totalizando 19.361 vidas perdidas. Apenas na noite de Natal, o país registrou mais 2 mil casos de infecção pela covid-19 e 51 vítimas fatais da doença.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE