Diplomacia

Após tempestade, líderes da UE vão à Turquia relançar relações

A visita acontece logo após a polêmica retirada da Turquia de um tratado para combater a violência de gênero e a abertura de um diligências na Justiça para banir o partido pró-curdo HDP

Agência France-Presse
postado em 06/04/2021 12:05

Os líderes da União Europeia (UE) iniciaram nesta terça-feira (6/4) uma visita à Turquia para tentar reativar as relações entre Ancara e Bruxelas, após meses de tensão e a recente promessa turca de promover uma "agenda positiva".

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, reuniram-se com o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, para discutir as modalidades da recuperação gradual das relações econômicas e negociar o apoio aos refugiados no país.

Após um ano de tensões, as autoridades turcas multiplicaram os apelos ao diálogo com os europeus para tentar aparar as arestas, como a disputa marítima greco-turca no Mediterrâneo oriental, o papel da Turquia no conflito na Síria, na Líbia e, mais recentemente, em Nagorno Karabakh.

Os líderes europeus pedem "gestos confiáveis" e "esforços duradouros" a Ancara, que está sob vigilância até junho, sob pena de sanções.

Exigem do presidente turco ações concretas que demonstrem sua vontade de reduzir as tensões, em particular no contencioso com Grécia e Chipre, na retirada de suas tropas da Líbia e no respeito pelos direitos fundamentais em seu país.

As autoridades turcas ressaltam sua vontade de ter negociações "positivas" e se concentrar em ações concretas em matéria de imigração.

As autoridades comunitárias advertiram que a manutenção da "agenda positiva" depende da capacidade de Erdogan de mostrar que continua sendo um sócio confiável.

A recente política de distensão promovida pela Turquia coincide com a preocupação de Ancara com um possível endurecimento, por parte dos Estados Unidos, após a chegada do governo democrata ao poder em Washington.

Em um gesto para com a Turquia, a UE disse estar pronta para iniciar a modernização da união aduaneira, retomar o diálogo de alto nível suspenso em 2019 sobre alguns assuntos, como segurança, meio ambiente e saúde, assim como conceder facilidades de visto para cidadãos turcos.

A visita acontece logo após a polêmica retirada da Turquia de um tratado para combater a violência de gênero e a abertura de um diligências na Justiça para banir o partido pró-curdo HDP. Trata-se da terceira maior legenda do país.

Bruxelas condenou esses últimos acontecimentos, embora esteja disposta a continuar trabalhando com a Turquia, se "a desescalada atual continuar".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE