Empresas

China adota lei para enfrentar sanções estrangeiras

O país reclama há muito tempo da aplicação extraterritorial do direito americano, mediante sanções e restrições comerciais

Agência France-Presse
postado em 10/06/2021 13:30
 (crédito:  / AFP / NICOLAS ASFOURI)
(crédito: / AFP / NICOLAS ASFOURI)

O Parlamento chinês adotou, nesta quinta-feira (10/6), uma lei para enfrentar as sanções estrangeiras, em um contexto de crescente pressão dos Estados Unidos e seus aliados diante de Pequim, informou a mídia estatal.

O governo do presidente americano Joe Biden ampliou na semana passada uma lista de empresas estrangeiras nas quais as empresas dos Estados Unidos não têm direito a investir, visando a segurança nacional.

Nela constam 59 empresas chinesas, acusadas de apoiarem as atividades militares de Pequim. Na lista anterior, eram 31.

A China lamentou a decisão e prometeu adotar medidas para "defender" suas empresas.

O Parlamento chinês, submetido ao poder do Partido Comunista, adotou em comissão uma lei contra as sanções estrangeiras, informou nesta quinta-feira (10/6) a televisão nacional, sem dar mais detalhes.

A China reclama há muito tempo da aplicação extraterritorial do direito americano, mediante sanções e restrições comerciais.

Esta lei chinesa será "um poderoso meio de dissuasão [...] contra os governos estrangeiros que tomariam sanções ilegais contra a China", afirma o Global Times, um jornal de tom abertamente nacionalista.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE