Ministério de Migração

Grécia propõe deportar afegãos para a Turquia

Há meses, a Grécia tenta em vão persuadir a Turquia para que receba quase 2.000 imigrantes cujas solicitações de asilo foram rejeitadas por Atenas

Agência France-Presse
postado em 18/08/2021 13:43 / atualizado em 18/08/2021 13:43
 (crédito: JOHN THYS/ AFP)
(crédito: JOHN THYS/ AFP)

A caótica situação no Afeganistão impede as deportações diretas dos afegãos que tiveram o asilo negado, mas enviá-los à Turquia continua sendo uma opção válida para a Grécia, informou o ministro de Migração grego, Notis Mitarachi, nesta quarta-feira (18/8).

"A realidade é que nenhum país pode atualmente decidir devoluções ao Afeganistão", disse à Sky TV o ministro Notis Mitarachi.

"Também não sabemos quais condições vão prevalecer no Afeganistão nos próximos meses", afirmou, acrescentando que "ainda é cedo" para afirmar que a Grécia enfrentará uma nova onda de migrantes.

No entanto, "consideramos a Turquia um país seguro para os cidadãos afegãos".

Há meses, a Grécia tenta em vão persuadir a Turquia para que receba quase 2.000 imigrantes cujas solicitações de asilo foram rejeitadas por Atenas.

Até o momento, Mitarachi afirma que a prioridade da Grécia é evacuar cidadãos da UE e aos afegãos que ajudaram as forças gregas durante a missão da Otan em seu país.

"A primeira prioridade é de caráter humanitário (...). Estamos discutindo sobre a transferência de algumas famílias, intérpretes do exército grego, ou pessoas que cooperaram conosco de alguma maneira", declarou.

No entanto, insistiu que a Grécia não voltará a se tornar uma "porta de entrada de fluxos irregulares" de migrantes, depois da onda de 2015, e acrescentou que seu país já abriga quase 40.000 afegãos.

"Vinte mil deles são solicitantes de asilo e os outros 20.000 são refugiados reconhecidos", explicou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE