Pandemia

Ministro peruano do Interior renuncia após polêmica festa em casa

Após a revelação, o ministro recebeu uma enxurrada de críticas de todos os setores políticos. Defendeu-se na segunda-feira (1º), afirmando que não era uma festa, mas uma reunião de trabalho

Agência France-Presse
postado em 03/11/2021 09:03 / atualizado em 03/11/2021 09:03
 (crédito: AFP PHOTO / Peruvian presidency press office)
(crédito: AFP PHOTO / Peruvian presidency press office)

O ministro do Interior do Peru, Luis Barranzuela, renunciou nesta terça-feira (3), menos de um mês após sua posse, questionado por ter realizado uma festa em sua casa, violando uma proibição em vigor para reduzir o avanço da covid-19 no país.

"Anuncio de que recebi e aceitei a renúncia do ministro do Interior, Luis Barranzuela. Nas próximas horas farei o juramento de quem irá suceder-lhe no cargo", tuitou o presidente Pedro Castillo.

Este policial reformado e advogado, de 58 anos, ficou no olho do furacão depois que a emissora TV Latina informou que ele havia dado uma festa em sua casa em Lima, no domingo, Dia da Canção Crioula e noite de Halloween. Esse tipo de reunião havia sido expressamente proibido por decreto alguns dias antes.

Após a revelação, o ministro recebeu uma enxurrada de críticas de todos os setores políticos. Defendeu-se na segunda-feira (1º), afirmando que não era uma festa, mas uma reunião de trabalho. A ministra-chefe da Casa Civil, Mirtha Vásquez, disse, no entanto, que sua explicação era "inaceitável".

Depois de renunciar, Barranzuela escreveu no Twitter que foi vítima de "falsas acusações" e justificou sua saída "em respeito à governabilidade e à confiança do presidente da República".

Controlado pela oposição de direita, o Congresso peruano deve decidir nesta quinta-feira (4), se concede um voto de confiança ao gabinete chefiado por Vásquez. Esta votação é essencial para que a permanência do gabinete. Segundo a imprensa local, seria rejeitado, se Barranzuela continuasse no cargo.

"Importante decisão do nosso presidente", tuitou Vásquez, após a renúncia do ministro.

"A estabilidade, o consenso e a paz social em nosso país são nosso compromisso a ser seguido", acrescentou.

Com 33 milhões de habitantes, o Peru foi duramente atingido pela pandemia, mas desde maio os novos casos vêm diminuindo. Acumula 2,2 milhões de infecções e mais de 200.000 mortos.

Barranzuela foi nomeado titular do Interior, quando Castillo reestruturou o gabinete ministerial em 6 de outubro, dois meses depois de chegar à presidência.

Castillo navega em águas turbulentas desde que assumiu o poder, em 28 de julho. Há um mês, demitiu sete ministros (de um total de 19), incluindo o então chefe do gabinete, Guido Bellido, e, em meados de agosto, mudou de chanceler.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE