Justiça

Sete pessoas são condenadas por tuítes antissemitas contra miss na França

Durante o processo em um tribunal de Paris, os acusados admitiram que escreveram as mensagens, mas nenhum deles reconheceu o caráter antissemita

Agencia France Presse
postado em 03/11/2021 13:48
 (crédito: KIRILL KUDRYAVTSEV / AFP)
(crédito: KIRILL KUDRYAVTSEV / AFP)

A Justiça francesa condenou nesta quarta-feira (3) a multas de até 800 euros (925 dólares) sete pessoas por publicarem mensagens antissemitas no Twitter contra uma das finalistas do concurso de beleza Miss França.

Durante a gala transmitida em dezembro, a jovem April Benayoum, miss Provence, disse que sua paixão pela geografia deve-se talvez às suas origens: sua mãe é servo-croata e seu pai ítalo-israelense.

Essas declarações geraram uma onda de mensagens de ódio no Twitter. "Eu voto contra a judia (...). Miss Provence é israelense, essa vadia (...). Eu boicoto Israel", leu a presidente do tribunal durante o julgamento em setembro.

Durante o processo em um tribunal de Paris, os acusados admitiram que escreveram essas mensagens, mas nenhum deles reconheceu seu caráter antissemita. Alguns afirmaram terem agido em nome da causa palestina.

No entanto, para os magistrados, as mensagens "tanto pelo [seu] conteúdo quanto pelo contexto" expressavam sim "uma rejeição à pessoa pela sua origem" ou "sua suposta religião" e apontavam "diretamente" para Benayoum.

A Justiça impôs multas de entre 300 e 800 euros (de 347 a 925 dólares) a essas quatro mulheres e três homens, assim como o pagamento de indenização para a mulher e várias associações antirracistas.

Quatro deles precisarão também comparecer a um "curso de cidadania" de dois dias, segundo a decisão do tribunal. A Promotoria havia pedido dois meses de prisão condicional para os condenados e para um oitavo homem, que foi absolvido.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE