Estados Unidos

Júri quase todo branco no julgamento de três homens brancos pelo assassinato de corredor negro

O júri selecionado para o julgamento de três homens brancos inclui apenas um afrodescendente

Agence France-Presse
postado em 04/11/2021 16:16
 (crédito:  AFP)
(crédito: AFP)

O júri selecionado nesta quinta-feira (4) para o julgamento de três homens brancos pelo assassinato do corredor negro Ahmaud Arbery na Geórgia inclui apenas um afrodescendente.

Na quarta-feira, os advogados dos réus recusaram todos os negros pré-selecionados, exceto um.

Nos Estados Unidos, é proibido excluir membros de um júri por motivos de raça, por isso o promotor pediu ao juiz que invalidasse a manobra.

Mas o magistrado, Timothy Walmsley, recusou. “Parece que houve discriminação intencional”, admitiu. Mas os advogados de defesa "explicaram ao tribunal por que, independentemente da raça, eles recusaram esses jurados".

"É ultrajante", disse o advogado Ben Crump, especialista em violência contra afro-americanos.

Se trata de "um esforço cínico para ajudar os assassinos a escapar da justiça", acrescentou em um comunicado.

"É muito difícil para a família, que quer apenas um julgamento justo e sem preconceito racial, mas faz parte do nosso sistema", disse o advogado Lee Merritt, que defende a mãe de Arbery, Wanda Cooper-Jones, que disse estar "chocada".

O julgamento começa sexta-feira com a apresentação dos argumentos e deve durar várias semanas.

Em 23 de fevereiro de 2020, Arbery, de 25 anos, estava correndo em Brunswick, Geórgia, no sudeste dos Estados Unidos, depois de ser perseguido por três homens brancos - Gregory McMichael (65), seu filho Travis (35), e um vizinho, William Bryan (52).

Após uma altercação, McMichael Jr. abriu fogo e matou o corredor. Os três homens mais tarde alegaram tê-lo confundido com um ladrão e invocaram uma lei estadual da Geórgia que permite que cidadãos comuns façam prisões.

Por quase três meses, a Promotoria local, para a qual Gregory McMichael, um policial aposentado, trabalhou por muito tempo, não fez nenhuma prisão.

Somente após o vazamento do vídeo do assassinato, o caso foi transferido para a polícia estadual e os três suspeitos foram presos e acusados de homicídio.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE