Redes sociais

"Eu reverteria a proibição", afirma Elon Musk sobre Trump no Twitter

Após a compra da rede social, o magnata afirmou que não achou certo o ex-presidente dos EUA ter sido banido do Twitter

Camilla Germano
postado em 10/05/2022 19:10
 (crédito: Angela Weiss / AFP - OLIVIER DOULIERY / AFP)
(crédito: Angela Weiss / AFP - OLIVIER DOULIERY / AFP)

Desde a compra do Twitter por Elon Musk, muitos se perguntaram qual a real possibilidade do dono da Tesla suspender o banimento do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump da plataforma.

A resposta para essa pergunta foi dada pelo próprio magnata, que disse ter interesse em reverter a proibição, mas esclareceu que como a compra da rede social ainda não foi fechada "não é certo que isto vá acontecer", informou Musk ao jornal Financial Times.

Elon Musk já afirmou ser favorável a uma menor moderação de conteúdo e restrições no Twitter. No entanto, julga que a atitude de banir Trump não foi correta. "Acho que foi um erro porque marginalizou grande parte do país e, em última instância, não resultou em que Donald Trump não tivesse voz", explicou.

Vale lembrar que Donald Trump foi banido no Twitter e de outras redes sociais por publicações que insinuavam que as eleições de 2020 haviam sido fraudadas e convocando apoiadores para irem até o Capitólio tentar impedir a confirmação de Joe Biden como vencedor das eleições. Cinco pessoas morreram na invasão ao Capitólio.

“Ficarei na Truth”, afirmou Trump

Em entrevista à Fox News, Donald Trump disse que não voltará ao Twitter. “Não voltarei ao Twitter, ficarei no Truth”, disse, referindo-se à plataforma Truth Social (Verdade Social), lançada em fevereiro como uma alternativa conservadora ao Facebook, Twitter e YouTube.

Assim, pode ser provável que mesmo após a suspensão do banimento o ex-presidente decida não volta a rede social.

Sobre as punições como a de Trump, Musk insistiu que casos permanentes de banimento são uma "decisão moralmente ruim" e que podem abalar a confiança no Twitter como uma praça pública on-line onde todos podem ser ouvidos.

*Com informações da Agence France Presse

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

CONTINUE LENDO SOBRE